menu.jpg

03/04/2009 | Versão para Impressão

Livro: Instituies de Sade de Porto Alegre

Livro “Instituições de Saúde de Porto Alegre”,Foi lançado no dia 27 de setembro, com sessão de autógrafos, o livro “Instituições de Saúde de Porto Alegre”, organizado pelas historiadoras Beatriz Teixeira Weber e Juliane Serres e publicado pelo fundo editorial do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) com apoio da Fundação Oswaldo Cruz e da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A publicação é um dos resultados do projeto Inventário Nacional do Patrimônio Cultural da Saúde, que propôs um amplo levantamento do patrimônio arquitetônico-histórico de hospitais e outras instituições de assistência médicas, assim como dos institutos de pesquisa científica organizados nos séculos XIX e XX, em seis capitais brasileiras. O lançamento aconteceu dentro da programação da I Jornada Gaúcha de História da Medicina.

O projeto faz parte de um conjunto de ações prioritárias definidas no âmbito da Rede Latino-Americana de História e Patrimônio Cultural da Saúde. No âmbito nacional, o projeto foi implementado pela Casa de Oswaldo Cruz, unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz. Em Porto Alegre, a obra passa a ser a primeira experiência de levantamento do patrimônio cultural da saúde na região.

O levantamento foi realizado de agosto de 2007 a janeiro de 2008, e resultou em informações sobre 25 instituições, com um recorte cronológico a partir de dois marcos do patrimônio cultural da saúde de Porto Alegre: a fundação da Santa Casa de Misericórdia (1803) e a fundação do Hospital das Clínicas (1968), considerado um modelo de instituição hospitalar moderna para todo o Brasil.

 
As autoras

Beatriz Teixeira Weber é graduada em História pela UFSM, Mestre em História pela UFRGS, Doutora em História Social do Trabalho pela UNICAMP, Pós-doutorado em História da Ciência na COC/FIOCRUZ. Professora no Departamento de História da Universidade Federal de Santa Maria. Autora do livro As Artes de Curar, Medicina, religião, magia e positivismo na República Rio-grandense.

Juliane C. Primon Serres é graduada em história pela UFSM, Mestre e Doutoranda em História pela UNISINOS, sua produção gira em torno de questões relativas a saúde pública no RS, em particular a questões voltadas a lepra no Estado. Atualmente é diretora do Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul.


Compartilhe:


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player