menu.jpg

17/03/2010 | Versão para Impressão

Sarau Lrico com o tenor Fernando Elsner e o pianista Hubertus Hofmann - 04/03

Saiba quem estará no Sarau Lírico da primeira quinta-feira de abril (01) no MUHM:

ANGELA DIEL - Mezzo-soprano
FERNANDO CORDELLA - Cravo.
 
Obras de LAMBERT , FRESCOBALDI, STRADELLA, SCARLATTI , CALDARA, BACH, HANDEL E MOZART.


Veja como foi o sarau de março:


 


O Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul (MUHM) retoma os seus Saraus Líricos na primeira quinta-feira de março (04) trazendo o tenor Fernando Elsner e o pianista Hubertus Hofmann.

Os Saraus Líricos acontecem na 1ª quinta-feira de cada mês dentro do projeto Quintas no Museu, com apoio da Associação Gaúcha de Cultura Musical, e do mantenedor do MUHM, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul.

Os eventos são realizados às 18h30min na sala Rita Lobato do MUHM, que fica na av. Independência, 270, Centro de Porto Alegre (Prédio Histórico do Hospital Beneficência Portuguesa).

A entrada é gratuita e há estacionamentos próximos ao local.



Programa do Sarau Lírico
clique na imagem e baixe o programa em pdf

 


Sarau LíricoO del mio dolce ardor
Christoph Gluck

Sogno / A  vucchella
Paolo Tosti

Azulão
Jaime Ovalle

Pedido
Vicente Taveira

Marta - Moises Simons

I te vurria vasà
Eduardo Di Capua

Non ti scordar di me / Torna a Surriento
Ernesto De Curtis








Fernando Elsner
Tenor


Nascido em 26 de setembro de 1938 em Porto Alegre.

Fez seu aprendizado de canto com Antonio Luiz Codorniz, Branca Bagorro, José Dantas Pimentel, Hercules Sevilles (grego), Emílio Baldino e Rio Novello (barítono italiano radicado em Curitiba) e Bruno Wyzuj (baixo polonês).

Em 1962 recebeu o "Prêmio Beniamino Gigli" no Rio de Janeiro.

Fez Walter (Tannhauser), Cássio (Otello), onde contracenou com Assis Pacheco no papel-título e Lourival Braga como Iago. Foi Bastien em (Bastien e Bastienne) e Fenton em (Falstaff), nesta ópera, com Paulo Fortis e Diana Sponda. Participou ainda de Salomé, de Strauss e na opereta O Barão Cigano. A maioria de seus trabalhos operísticos tiveram a direção de Pablo Komlós.

Por oito vezes cantou a Missa da Coroação, de Mozart. Participou, ainda, da Missa in Tempore Belli, de Haydn, de Cantata de Bach e da Cantata Rei dos Reis, de Frederico Gerling Júnior, que foi encenada no Salão de Atos da PUCRS.

Apresentou-se em concertos e recitais em várias cidades do Estado, em Capitais do País e ainda no Uruguai, Itália e Alemanha, obtendo grande sucesso por sua musicalidade e excelente linha de canto, aliados a uma bela voz.





Hubertus Hofmann
Pianista


Hubertus Hofmann nasceu em Gotha, Alemanha, em 1929. Quando menino, foi cantor do coro da igreja São Thomas, em Leipzig, sob a orientação do diretor musical Günter Ramin. Após a guerra cursou piano e composição na Escola Superior de Música de Berlim, onde se formou em piano e licenciatura. Foi correpetidor nos teatros Estaduais de Mainz e München.

Compôs trilhas sonoras para o teatro e balé. Em 1962 radicou-se no Brasil, contratado pela Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, OSPA, onde atuou como pianista titular por 35 anos. Em 1968 assumiu docência na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, no Instituto de Belas Artes. Suas composições começam a definir-se em 1985, tendo sua ênfase em música para o piano: 7 Sonatinas, 18 Improvisos, 10 Estudos, Arco Iris, Valsas, 3 Suites, 3 cadernos de Leituras(#1 a 260), Momentos musicais, Serenata Swing, Concertino p.piano e orquestra de cordas. Sonatinas para: Violino, viola, oboé, flauta piccola, flauta transversal, vibrafone, marimba, 3 trios para madeiras. Abertura Mirim, Hino à vida, Concertino tríplice, Suíte para Cordas.

Lançou seu primeiro CD, Presença Musical da UFRGS, com composições para piano e para sintetizadores. O segundo CD chama-se Recital de piano, com composições de J.S.Bach e Hubertus Hofmann. O terceiro CD é Suíte para cordas e Sons transgênicos.



Compartilhe:


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player