menu.jpg

09/09/2010 | Versão para Impressão

Sarau Lrico de setembro traz Jair Ferreira e Leandro Faber. Livro "Hospital Schlatter" ser lanado no dia

Além de suas tradicionais atrações musicais, o Sarau Lírico do Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul (MUHM) do próximo dia 2 de setembro vai abrir espaço para o lançamento com sessão de autógrafos do livro "Hospital Schlatter", escrito pelo jornalista Renato Mendonça. A publicação acompanha a trajetória dos médicos Gabriel, Doris José e Theo Tássilo Schlatter, figuras importantes na história da Medicina gaúcha, especialmente na região do Vale do Rio Caí. O acervo da família foi doado ao museu.

Hospital Schlatter, Livro de Renato Mendonça
Foto: Doris José, esposa e filhos em frente ao Hospital Schlatter, em 1937. Arquivo pessoal Carmen Ursula Schlatter Gieler

"Hospital Schlatter"


Hospital SchlatterO livro de 160 páginas reúne fundamentalmente as biografias de três gerações da família Schlatter. No capítulo dedicado a Gabriel Schlatter (1865 - 1947), relembra a infância e a juventude dele na Áustria, sua chegada no Brasil, a fundação do Hospital Schlatter e o pioneirismo de Gabriel ao fundar a primeira Escola de Parteiras no estado.

Na parte dedicada a Doris José (1900 - 1966), acompanha-se a consolidação do Hospital e a multiplicação de talentos do filho de Gabriel com
o médico, músico e político. O último capítulo é dedicado a Theo Tássilo (1930 - 2007), registrando seus talentos de cirurgião, administrador e homem público, e acompanhando o esforço do centenário Hospital Schlatter para adaptar-se aos novos tempos. "Hospital Schlatter"
será vendido no local a R$ 20.

O diferencial de "Hospital Schlatter" é não se contentar com o acompanhamento simples da trajetória desta trinca de médicos - ilustrado com mais de 130 fotografias, o livro contextualiza as vidas de Gabriel, Doris José e Theo Tássilo junto às comunidades em que viveram e que transformaram. Essa perspectiva rende flagrantes deliciosos do dia a dia na região de imigração alemã durante o século passado, relembra a ação repressiva do Estado Novo durante a II Guerra Mundial, acompanha o crescimento e a afirmação da cidade de Feliz, sede do Hospital Schlatter.

O autor, Renato Mendonça, trabalhou por 15 anos no Segundo Caderno da Zero Hora, sendo vencedor do Prêmio ARI de Reportagem Cultural em 2005. Em 2002, lançou o livro "O Homem que Enganou o Tempo", que descrevia a vida de Gabriel Schlatter, fundador do Hospital Schlatter.

Hospital Schlatter, Livro de Renato Mendonça
O autor, Renato Mendonça. Foto de Luiza Mendonça.



Sarau

Na edição de setembro o MUHM recebe o barítono e médico Jair Ferreira, acompanhado pelo pianista Leandro Faber, que interpretarão desde clássicos como “Toreador”, da ópera Carmen, de Bizet, e “La calunia“, de O Barbeiro de Sevilha, de Rossini, até obras de Ary Barroso, Henry Mancini e Bernstein.


Dono de um repertório extremamente eclético que inclui árias de óperas sérias e de óperas bufas, peças eruditas em diversos idiomas e músicas populares brasileiras e internacionais, Jair Ferreira integra desde 1988 o Grupo de Médicos Cantores Líricos da AMRIGS, tendo integrado e apresentado-se pelos corais da UFRGS e da OSPA, onde teve aulas de técnica vocal com os professores Decápolis de Andrade e Ida Weisfeld. Estudou ainda com os professores Emilio Baldino e Lory Keller. Foi solista em pequenos papéis da Cantata Carmina Burana de Carl Orff e das Óperas Fidélio de Beethoven e Salomé de R. Strauss. Médico e professor de Epidemiologia na UFRGS, trabalhou como Dermatologista e Sanitarista na Secretaria Estadual da Saúde, consultor do Ministério da Saúde e da OMS.

Um dos pianistas mais presentes nos Saraus Líricos, Leandro Faber rege quatro Corais na cidade de Santa Maria, onde formou-se em Música pela UFSM e atuou como professor de Piano e Acompanhamento, Análise Musical, História e Literatura do Piano, além de reger a Orquestra Sinfônica e o Grupo de Percussão. Camerista e Acompanhador, apresentou-se em várias cidades do Brasil, Argentina, Uruguai e Alemanha, onde aperfeiçoou-se na Escola Superior de Música de Karlsruhe. Com mais de 1300 apresentações em seu currículo, tem participação em 9 Cd’s e destaca-se na especialidade Acompanhamento e Correpetição - instrumentos de cordas, madeiras, metais e percussão - assim como notadamente na área do canto lírico, na qual atua também como “adviser”, tendo recebido por isto Prêmio Especial no IV Concurso Internacional de Canto “Bidu Sayão”, onde dois de seus orientandos obtiveram premiações.

Programa

Tonight (West Side Story) - Leonard Bernstein
Empty chairs at empty tables (Os Miseráveis) - Claude-Michel Schönberg
Moon river - Henry Mancini
Rondine al nido - Vincenzo de Crescenzo
Na Baixa do Sapateiro - Ary Barroso
A canção da pulga - Modest Mussorgsky
Nonnes qui reposez (Roberto o Diabo) - Giacomo Meyerbeer
La calunia (O Barbeiro de Sevilha) - Gioacchino Rossini
A canção do toreador (Carmen) - George Bizet

 

Saiba mais

Os Saraus Líricos fazem parte do projeto Quintas no Museu e tem o apoio da Associação Gaúcha de Cultura Musical e do mantenedor do MUHM o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul. Os eventos acontecem na 1ª quinta-feira de cada mês às 18h30min na sala Rita Lobato do MUHM, que fica na av. Independência, 270, Centro de Porto Alegre (Prédio Histórico do Hospital Beneficência Portuguesa). A entrada é gratuita e há estacionamentos próximos ao local. Os comentários são feitos pelo médico Aury Hilário, responsável pela
Agenda Lírica de Porto Alegre. Atualmente os saraus entraram nos eventos do projeto Música no Museu, que envolve diversos museus do país.  

 

 



Compartilhe:


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player