menu.jpg

01/10/2010 | Versão para Impressão

ltimos dias para ver o Testut no Destaque do Acervo

Testut

O Museu de História da Medicina coloca em exposição no seu hall dois exemplares do livro de anatomia "L. Testut" como Destaque do Acervo do mês de setembro. Este é o segundo acervo da instituição destacado em um espaço que tem como objetivo ser uma opção a mais para voltar mesmo após conhecer as exposições vigentes e mostrar o trabalho feito na Reserva Técnica. Visitação até 02 de outubro, quando também é a última oportunidade de visitar a exposição Caminhos do Partenon. Neste domingo, excepcionalmente, o museu fecha, devido s eleies.

  Testut
TESTUT, L. Traité D'Anatomie Thopographique I. Paris: Octave Doin, 1905. (Acervo Chaphicki Saadi)
TESTUT, L. Traité D'Anatomie Thopographique II. Paris: Octave Doin, 1906. (Acervo Chaphicki Saadi)


 


 
 
Fotografia do Professor J. Testut (1849–1925) com aproximadamente 50 anos de idade

Jean Léo Testut nasceu em 22 de março de 1849 em Saint Avit na Dordogne/Périgord. Estudou na Escola de Medicina de Bordeaux, enquanto acadêmico, lutou na guerra entre a França e a Prússia, tendo sido condecorado com a Medalha Militar por bravura e patriotismo. De volta a Bordeaux, Dr. Testut devotou-se exclusivamente ao ensino e à pesquisa na área básica, tornando-se chefe de Técnicas Anatômicas.

Com vista a completar sua formação acadêmica em Anatomia, foi para Paris, onde trabalhou nos laboratórios de Pierre Paul Broca e Louis Ranvier. Em seguida, obteve seu doutorado na Faculdade de Medicina da Universidade de Paris em 1877. Em 1880, Testut voltou para Bordeaux, onde se tornou, por concurso, Professor Associado de Anatomia e Fisiologia da Faculdade de Medicina. Na ocasião, fora aprovada sua tese “Vasos e nervos dos tecidos conectivos fibrosos, serosos e ósseo”. Em 1884, foi nomeado chefe do Departamento de Anatomia da Faculdade de Medicina de Lille, onde permaneceu até 1886. Ainda em 1884, publicou os trabalhos “Porção braquial do nervo musculocutâneo”, o qual originou o epônimo “nervo de Testut”, e “As anomalias musculares do homem explicadas pela anatomia comparada. Sua importância em antropologia”. Por essa última publicação, recebeu o Prêmio Broca, outorgado pela Sociedade de Antropologia de Paris.

Em 1886, mudou-se para Lyon, à época um dos mais prestigiados centros de cultura e medicina da França. Ele chefiou o Departamento de Anatomia da Faculdade de Medicina e Farmácia local por trinta anos. O professor Testut foi muito popular entre os estudantes, para os quais dava aulas com uma voz firme e cadenciada. Ele tinha um enorme bigode, usava ternos azuis e vestia o jaleco completamente abotoado. A pontualidade de Testut era respeitada pelos estudantes, que admiravam suas precisas descrições sobre o corpo humano, enriquecidas com achados antropológicos e conceitos filosóficos. Freqüentemente era aplaudido, ao terminar as aulas, pelos estudantes, que assim expressavam seu entusiasmo pelo professor carismático.

Um dos mais ricos museus de anatomia do mundo foi por ele organizado na escola de medicina de Lyon.

Em colaboração com Dr. Octave Jacob, professor de Anatomia e reitor da Escola de Medicina de Val-de-Grâce, Testut publicou o “Tratado de anatomia topográfica com aplicações médicocirúrgicas” (1909), com desenhos de S. Dupret. Este tratado, publicado pela livraria Octave Doin com 1.500 figuras, a maioria em cores, recebeu os prêmios Montyon e Saintour, outorgados respectivamente pelas Academias de Ciência e de Medicina de Paris. O Professor Testut ocupou proeminentes posições no meio científico, tais como membro da Academia de Medicina de Paris e presidente da Associação Mundial de Anatomistas.Autor de mais de noventa publicações sobre anatomia, antropologia, arqueologia e fisiologia. Fundou e dirigiu várias revistas científicas. Em 1919, Testut recebeu o título de professor honorário da Faculdade de Medicina de Lyon, e teve seu retrato pintado por A. Mazeran, que foi solenemente colocado no Salão dos Conselhos dessa faculdade. Uma caricatura do professor Testut foi desenhada por Jacques Duclos, um veterano da Guerra Franco-Prussiana, e publicada no artigo de Bouchet (1978) sobre a história da anatomia de Lyon.


Caricatura do Prof. J. Testut, desenhada por J. Diclos


Nesta, Testut aparece cercado de esqueletos humanos. Professor Testut retornou em 1920 para sua cidade natal, onde permaneceu até sua morte. Ele morreu em 16 de janeiro de 1925 e foi sepultado no dia 18. Um livro, de autoria de Testut foi publicado postumamente. Havia sido escrito em colaboração com Jean Pitres, um neuroanatomista discípulo de Charcot, intitulado “Os nervos em esquemas” (1925).

Foi dito por um seleto grupo de anatomistas, que, em sua lápide, merecia estar escrito: “Deus criou o homem e Testut o descreveu”.

Fonte: Bezerra, Armando JC; Bacelar, Simônides; Piva Júnir, Luis Piva. Quem estudou no Testut? Disponível em <http://www.ambr.com.br/rb/arquivos/10_bsbmed_45(4)_2008%20...Testut...pdf>


Sites Relacionados
Museu de Anatomia <http://museetl.univ-lyon1.fr>


Compartilhe:


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player