menu.jpg

06/05/2011 | Versão para Impressão

140 anos, Ora Pois! A Beneficncia Portuguesa conta sua histria

Além dos vídeos feitos para a exposição, visitantes que nasceram, trabalharam ou tiveram algum outro tipo de relação com a Beneficência Portuguesa, podem gravar seus próprios depoimentos, que passarão a integrar a mostra. Até 30 de abril de 2011. Entrada franca. As entrevistas feitas com médicos, funcionários administrativos e pacientes e o histórico do hospital também podem ser assistidos no Canal @muhmrs do YouTube.

Ora Pois

Entrevistas contam história da Beneficência Portuguesa


Foi com casa cheia que o Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul inaugurou em 18 de outubro, Dia do Médico, a exposição 140 anos, Ora Pois! A Beneficência Portuguesa conta sua história. O evento também marcou os três anos do Museu na sua sede, que funciona na parte da frente do prédio histórico do Hospital Beneficência Portuguesa e que em 2010 completou 140 anos. A realização é do Museu, do Hospital e do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, mantenedor do MUHM. Participaram representantes de museus da UFRGS, do Internacional, Fundação Zoobotânica, Instituto Cultural Português e vários outros centros culturais. O prefeito José Fortunatti foi representado pelo secretário municipal da Saúde, Carlos Henrique Casartelli.

   
foto
Vídeo: 140 anos, Ora Pois! (cronologia) Vídeo: A Beneficência Portuguesa conta sua história. (entrevistas) Imagens: Exposição


Dia do Médico
Entre os diversos entrevistados e autoridades presentes à inauguração, vários deles eram médicos, fazendo do evento uma grande comemoração. “Sem os médicos esse hospital não existiria”, disse o presidente do hospital, Eraldo Martins.

Em junho de 2010 o hospital já havia sido presenteado com o Corredor da Memória, uma mostra permanente no corredor que liga a área do Museu à hospitalar. Agora a exposição valoriza as histórias pessoais por meio de entrevistas com médicos, colaboradores e pessoas ligadas à história da Beneficência falando sobre a sua relação com o hospital e, consequentemente, a história de ambos, registradas em vídeo pelo historiador Éverton Quevedo, vice-diretor e coordenador de Pesquisa e Acervos do Museu.

De acordo com Quevedo, o fato do hospital ter sido maternidade referência por muitos anos provoca um sentimento de carinho nas pessoas. Ser o segundo hospital mais antigo da cidade, também contribui. “As pessoas chegam para visitar outras exposições ou participar de eventos e sempre nos contam alguma coisa sobre a sua própria história que ajuda a conhecer e entender as diferentes fases pelas quais a instituição passou e que muitas vezes não aparece nos documentos, mas aparece nesses testemunhos”, explica o historiador, ele mesmo nascido na Beneficência Portuguesa. A exposição também oferece a possibilidade da pessoa gravar seu próprio testemunho sobre o hospital, passando a fazer parte da mostra.

Um outro vídeo apresenta um resumo histórico da trajetória do hospital, e as entrevistas também passam a integrar o banco do projeto de história oral do Museu. Textos e objetos complementam o Corredor da Memória, embora o foco, nesta exposição, sejam os depoimentos.

Alda Dias de Matos, cujo pai – José Pereira de Matos – presidiu, nos  anos 30, a Sociedade Portuguesa de Beneficência, foi uma das entrevistadas. “Nasci e tive meus filhos aqui, minha vida é a Beneficência”, contou emocionada. Sua entrevista foi a a primeira do projeto de história oral e foi concedida à historiadora Daniela Vallandro de Carvalho e à estudante de história Fabiana Nunes da Silveira em janeiro de 2008. O sobrinho de dona Alda, o médico Fernando Matos Cruz, também aprovou a exposição. “Vou vir dar meu depoimento”, prometeu o médico.



O secretário da Saúde, Carlos Henrique Casartelli, saudou o SIMERS pela iniciativa do MUHM e à equipe do Museu pela exposição. “Fazia tempo que queria visitar, e fiquei muito feliz com o que encontrei, com a estrutura, a qualidade, estão todos de parabéns”, disse o secretário.

Durante a inauguração a diretora do museu, historiadora Juliane Serres, falou dos números, que já chegam a mais de 100 mil visitantes nas diversas exposições e atividades em Porto Alegre e interior, além de mais de 1 milhão de acessos no site www.muhm.org.br. A diretora do MUHM também anunciou para 2010 a publicação de um livro com artigos sobre o hospital com prefácio do escritor Moacyr Scliar (que também nasceu no hospital) e a abertura à pesquisa de documentos organizados por meio de convênio com a Beneficência e a Universidade do Vale do Rio dos Sinos. “Foi um trabalho bastante importante que vai abrir mais possibilidades aos pesquisadores, e estamos no final das tratativas para disponibilizar o acesso a este material”, diz a diretora. Ao final da exposição, em abril de 2011, o MUHM pretende realizar um evento amplo para discutir a importância do testemunho sob diferentes aspectos e áreas - para a medicina, a psicologia, o direito, a história, o jornalismo, a antropologia, entre outros.


ExposiçãO 140 anos, Ora Pois! A Beneficência Portuguesa conta sua história
Local: Sala Rita Lobato do MUHM - Av. Independência, 270 - Centro Histórico de Porto Alegre
Agendamentos de grupos e oficinas para escolas (51) 3029-2900 ou e-mail educativo.museu@simers.org.br.

Visitação: de terças a sextas-feiras, das 11h às 19h; sábados, domingos e feriados das 14h às 19h. Durante o horário de verão, abre e fecha 1h mais tarde. Até 30 de abril de 2011. 


 
Veja fotos no perfil do MUHM no Facebook os vídeos no do YouTube e venha dar o seu depoimento!


Compartilhe:


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player