menu.jpg

26/09/2011 | Versão para Impressão

"Mulheres, Museus e Memrias" o tema da 5 Primavera dos Museus

De 19 a 23 de setembro o Museu de História da Medicina promoveu nos corredores do entorno do "Chalé da Cultura", espaço cultural do Hospital Conceição (av. Francisco Trein, 596 - Bairro Cristo Redentor) a exposição Mulheres e Práticas de Saúde: Medicina e Fé no Universo Feminino. Reeditada para a 5ª Primavera dos Museus, do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) do Ministério da Cultura, a mostra vai ao encontro do tema desta primavera, "Mulheres, Museus e Memórias". O pioneirismo e a força das gaúchas será um dos destaques nesta mostra  que homenageia a trajetória de médicas que venceram barreiras sociais e políticas para estudar, se formar e prestar atendimento médico quando a atividade era predominantemente masculina. 


Foto: Divulgação/MUHM


Foto: Divulgação/MUHM

O museu também mostra o trabalho de outras mulheres, que não se tornaram médicas, mas que trouxeram luz para muitas pessoas: as parteiras. Algumas, com diploma. E, como a cura tem na fé uma grande aliada, as benzedeiras também estarão presentes com suas rezas e benzeduras. No sábado seguinte, dia 24 de setembro, a mostra voltou para o Museu integrando um evento na praça Dom Sebastião, em frente ao MUHM, que será a 2ª Mateada da Primavera, que teve a presença de equipe e ônibus da Escola do Chimarrão, de Venâncio Aires, ensinando diferentes formas de preparar o chimarrão.

Visite a mostra Mulheres e Práticas de Saúde: Medicina e Fé no Universo FemininoFotos e documentário: Felipe Henrique Gavioli 

Documentários

As histórias dessas mulhers são apresentadas através de paineis com fotos de Felipe Henrique Gavioli e dois documentários, "Fé" e "Vida", também do fotodocumentarista, que registrou as entrevistas realizadas pelo historiador Éverton Quevedo para a exposição. Foram fotografadas e ouvidas dez médicas ainda atuantes de diferentes especialidades que, além de serem protagonistas do seu tempo, já que o crescimento da atividade profissional feminina ainda é recente, alcançaram níveis de excelência técnica e acadêmica.
 
Já as parteiras e benzedeiras foram escolhidas com o apoio da folclorista Elma Sant'Ana, que editou, em parceria com o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), dois livros com essa temática. Foram feitas entrevistas tanto em Porto Alegre como no Interior do estado, em municípios como Santa Maria, Ijuí, Uruguaiana, Capivaria do Sul, entre outros. 
 
No site do museu (www.muhm.org.br) é possível ainda conhecer outras trajetórias mostradas na primeira edição da mostra, em 2008. A precursora, a gaúcha Rita Lobato, formou-se na Bahia em 1887, e foi também a primeira vereadora eleita. As duas médicas seguintes a formar-se em território brasileiro também eram gaúchas: Ermelinda Lopes Vasconcelos e Antonieta César Dias formaram-se no Rio de Janeiro, em 1888 e 1889. Mais tarde, em 1904, Alice Maeffer tornou-se a primeira a formar-se em solo gaúcho.




Documentários




Vida



Compartilhe:


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player