BARROS, Fábio do Nascimento

Natural Uruguaiana (RS), 28 de ago. de 1881 - 05 de março de 1952, Porto Alegre (RS). Iniciou os estudos primários em Uruguaiana (RS), completando-os no Col. Ivo Corseuil, de Porto Alegre (RS). Fez o curso de humanidades no Ginásio São Pedro, matriculando-se a seguir na Escola Militar de Porto Alegre. Abandonando a carreira das armas, ingressou na Faculdade de Medicina de Porto Alegre, onde fez os dois primeiros anos, cursando os quatro últimos na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, formando-se em jan. de 1906, com a tese sobre “A Dôr”. Especializou-se em moléstias nervosas e mentais, tendo empreendido viagens de estudos aos centros médicos europeus (1912-1913) especialmente em Paris e Berlim, onde realizou cursos de aperfeiçoamento. Participou do Congresso de Neurologia realizado no RJ, em 1930. Desempenhou as funções de Diretor da Higiene do Estado do RS. Foi membro do Conselho Penitenciário do RS. Atuou como médico legista da Polícia em Porto Alegre (RS). Membro da Missão Médica Militar enviada à França, por ocasião da 1º Guerra Mundial, atuando como Médico Capitão. Atuou como professor de Fisiologia e de Neurologia da Faculdade de Medicina de Porto Alegre. Também foi Médico Chefe do Hospital Psiquiátrico São Pedro e Médico Chefe da 19ª Enf.ª da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Publicou artigos em revistas técnicas e na imprensa utilizando o pseudônimo de “Vitoriano Serra”. Também atuou como jornalista e cronista de arte. Participou da organização do Salão de Outono de 1925 em Porto Alegre (RS). Escrevia no jornal “A Federação” e “n’O Diário”, e adotava os pseudônimos Victor Marçal ou Victoriano Serra. Atuou como correspondente de guerra, escrevendo crônicas para o periódico carioca “O Malho”. No jornal “Correio do Povo” foi por muito tempo responsável pela seção de artes. Proferiu na sessão de recepção da Faculdade de Medicina de Porto Alegre, realizada em 21 de dezembro de 1917. Revista dos Cursos, Ano 4, Num. 4, 1918. p. 152-155. Publicou: Hemianesthesias orgânicas: syndromo thalamico. Porto Alegre: Officinas Graphicas da Livraria do Globo, 1926. Casou-se com Constança Gama de Barros, de cujo matrimônio tiveram os filhos Cleonice Maria, José Júlio e Beatriz Maria.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943. p. 485.

http://profciriosimon.blogspot.com/2017/10/214-estudos-de-arte.html

BRUM, Cristiano Enrique de. A (des)mobilização de médicos na grande guerra: o caso da missão médica brasileira na França (1918-1919). Tese apresentada como requisito parcial de obtenção de grau de Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica no Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2018, p. 72, p. 130, p. 182, p. 222, p.223, p.238.

;