VIEIRA de Faria, Tasso

Natural de Porto Alegre (RS), 18 de novembro de 1915 - Porto Alegre (RS), 2 de julho de 1972. Filho de Osvaldo Vieira de Faria e Alice Moor de Faria. Fez os estudos primários e secundários no Ginásio Estadual Anchieta, da capital riograndense. Diplomou-se pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1939, defendendo a tese “A tensão arterial média na prova anfótropa sino-carotidiana” (Método esfigmo - tensiométrico. Indivíduos sãos). Especializou-se em Ginecologia e Cirurgia Geral. Frequentou, em Porto Alegre, os cursos de aperfeiçoamento em cirurgia, ministrado pelo Professor Jacy Monteiro em 1939, em cirurgia da tuberculose pulmonar em 1941, ministrado pelo Dr. César Ávila. Participou do 1º Congresso Médico da Fronteira, em Santana do Livramento (RS), em 1941. Além da tese inaugural, tem publicado vários trabalhos, entre os quais, conferências, como "Escorço histórico dos processos de exploração cirúrgica", “A moléstia ulcerosa”, “Ferimentos do coração” (todas elas proferidas em 1941, no Curso Erudição Médica - Porto Alegre). “Sobre a inervação centrífuga cardíaca” (Rev. do Centro Acadêmico Medicina - 1940), “O meu elogia a Graça Aranha” (Discurso de posse - Academia Sul Riograndense de Letras - Posse da Cadeira Graça Aranha - 1941). “Dicionário Histórico Bio-Bibliográfico de Medicina”, “O estranho relato do Dr. James” (novelas). Foi membro da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Porto Alegre, da Academia Literária Sul Rio Grandense (Cadeira Graça Aranha), Fundador e Secretário Geral da Casa do Intelectual, foi membro correspondente da Confraternité Universalle Balsacienne (Montevidéu). Desempenhou as funções de assistente da cadeira de Clínica Propedêudica Cirúrgica, Serviço do Professor Elyseu Paglioli, na Faculdade de Medicina da Universidade de Porto Alegre; de médico-cirurgião do Hospital São Francisco; cirurgião da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e diretor do Ambulatório de Medicina de Homens deste mesmo estabelecimento. Escreveu o trabalho “A Santa Casa de Misericórdia”, em colaboração com o Dr. Isidro Herédia, no Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. Elegeu-se vereador, pela legenda do Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, para a Iª Legislatura da Câmara Municipal de Porto Alegre, período de 1947-1951. Exerceu os seguintes cargos: relator-geral da Comissão de Petições, Reclamações e Redação, 1948; 2º secretário da Mesa Diretora, 1949 e 1950; relator da Comissão de Tomada de Contas, 1951. Presidiu a Câmara Municipal de Porto Alegre no período de 23 de janeiro a 5 de abril de 1951. Casou-se com Maria Alves de Faria, e teve os filhos Maria, Véra Regina e Tasso Osvaldo.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 578.

https://memorial.camarapoa.rs.gov.br/galeriadospresidentes/tasso-vieira-de-faria-2/

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
;