MACIEL, Rubens Mário Garcia

Natural de Santana do Livramento (RS), 4 de agosto de 1913 - 2004, em Porto Alegre. Fez o primário e o secundário no Ginásio Municipal Santanense em Santana do Livramento (RS), bacharelando-se em 1931. Diplomou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1937. Desempenhou as funções de interno da 1ª cadeira de Clínica Médica. Foi assistente da 2ª clínica médica da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (RS). Especializou-se em Medicina Interna, Moléstia do Coração e dos Vasos. Fez curso de Cardiologia e Endocrinologia no Hospital Municipal de São Paulo (SP), em 1941. Defendeu tese de livre docência em medicina (UFRGS, 1942), tese de livre docência em Clínica Propedêutica Médica (UFRGS, 1945) e mestrado em Clínica Médica (UFRGS, 1947) “Derivações Unipolares das Extremidades”. Foi professor catedrático de Clínica Propedêutica Médica e professor titular de Medicina Interna, desde a década de 1970 até sua aposentadoria, em 1983, da Faculdade de Medicina de Porto Alegre, atual UFRGS. Entre os anos 1948-1957, chefiou a Enfermaria 29, de Clínica Médica, da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Posteriormente, coordenou o Serviço Central de Cardiologia, de 1957 a 1972, e também foi chefe das Clínicas da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, de 1961 a 1963. Já no Hospital de Clínicas, coordenou a Divisão de Clínica Médica e Especialidades Médicas (1975-1980). Foi Chefe do Departamento de Medicina Interna no período de 1975 a 1977. Também atuou como professor na Faculdade de Medicina de Santa Maria (UFSM), em Santa Maria (RS). Foi cardiologista do Hospital Psiquiátrico São Pedro e do Sanatório São José, em Porto Alegre (RS). Foi consultor em Medicina e Educação do Hospital São Lucas da PUC/RS, entre 1983 e 1989, e atuou como consultor em Cardiologia e Educação do Instituto de Cardiologia, desde 1983. Participou das jornadas sul americanas de medicina e cirurgia, em 1938. Publicou na revista Médico Brasileiro “Netropatias unilaterais hipertensivas”. Recebeu o Prêmio D. Amélia Berchon Des Essarts, medalha de ouro, em 1937. Foi membro correspondente estrangeiro da Sociedade de Medicina Interna de Buenos Aires, desde 1935. Membro da Academia Nacional de Medicina desde 1978, cadeira número 41; Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Cardiologia em 1943; Membro Fundador e Primeiro Presidente da Sociedade de Cardiologia do RS, em 1948; Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (1957-1958) e Presidente (1958-1959); Delegado Brasileiro à Assembléia Geral da Sociedade Interamericana de Cardiologia, RJ (1960); Membro da Sociedade Interamericana de Hipertensão (desde 1983); Representante Brasileiro na Sociedade Interamericana de Hipertensão (1983-1987); Fellow do American College of Cardiology (desde 1986); Membro da American Heart Association (desde 1975); Membro do Conselho de Cardiologia Clínica da American Heart Association (desde 1975); Membro Correspondente Estrangeiro da Sociedade Francesa de Cardiologia (1981-1989); Membro Correspondente Estrangeiro da Sociedade Portuguesa de Cardiologia (desde 1982), Membro Correspondente Estrangeiro da Sociedade Argentina de Reumatologia (desde 1940), Membro Correspondente Estrangeiro da Liga Uruguaya contra o Reumatismo (desde 1942); Membro da Associação Médica Brasileira (desde 1957) e da Associação Médica do Rio Grande do Sul (desde 1950), entre outros. Foi editor da Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul (1960-1961). Foi Presidente do Júri Nacional de Ciências Médicas para concessão do Prêmio LAFI, em 1969. Recebeu os títulos de Irmão Protetor da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, em 1951, e Irmão Benemérito da Santa Casa de Misericórdia, em 1976. Foi agraciado com a Medalha do Sesquicentenário do Funcionamento da Santa Casa, pelos relevantes serviços prestados à Instituição, à Beneficência e à Assistência Médico-Social, em 1976. Membro Honorário da Associação dos Professores de Francês do RS (1981). Recebeu a Ordem Nacional do Mérito Médico, no grau de Grande Oficial (1965), foi condecorado com a Ordem do Mérito Naval, no grau de Cavaleiro (1968), recebeu o prêmio Chafariz de Prata, da Universidade Cândido Mendes do RJ (1970), o Prêmio Azevedo Sodré da Academia Nacional de Medicina (1971), o Prêmio Alfred Jurzykowski, da Academia Nacional de Medicina (1978). Recebeu o título de professor “honoris causa” da Universidade Federal de Santa Maria e da Pontifícia Universidade Católica/RS, o de Professor Emérito da UFRGS e de Membro Emérito desta Academia.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 527-528.

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/rubens-mario-garcia-maciel/

http://www.muhm.org.br/biografiasdigitalizadas/05103d6ba26208a36c2d95a034b9340d/ati_455.pdf

;