DESAFIOS DA MEDICINA


A Medicina tem uma longa história e, no decorrer do tempo, passou por uma série de transformações. Das mãos de leigos a profissionais qualificados: os Médicos; de antigas concepções muitas vezes impregnadas de imaginário e de sobrenatural, a concepções científicas; de técnicas rudimentares a sofisticados procedimentos. A Medicina, neste caminhar em busca de conhecimentos para devolver a saúde, combater as doenças, aliviar a dor, prolongar a vida e torná-la melhor, sempre esteve em uma fronteira entre o conhecido e o desconhecido. Ideias e procedimentos que hoje parecem banais nem sempre o foram. Para que o público possa conhecer mais o acervo e a temática do Museu e aprender um pouco sobre a história da medicina disponibilizamos a exposição virtual “Desafios da Medicina”.

COSTUMES


A descoberta da assepsia, uma prática aparentemente simples, foi um importante passo para a Medicina. Esse gesto provocou uma mudança nos costumes que extrapolou o campo médico e tornou-se uma prática social corriqueira.

A revolta da Vacina


O presidente Rodrigues Alves e o médico Oswaldo Cruz decidiram executar um projeto sanitário, em meados do século XX, buscando higienizar e modernizar a cidade do RJ, através da eliminação de mosquitos, ratos e demolição de habitações populares, priorizando espaços higiênicos e salubres. Em 1904 tornaram obrigatória a vacinação contra varíola e agentes invadiam as residências aplicando as vacinas, usando da força. A população sem conhecimento a respeito da importância da vacinação se rebelou, originando a Revolta da Vacina. Esse movimento acarretou a revogação da lei da obrigatoriedade da vacina, em contrapartida foi exigido o atestado de vacinação para situações como matrícula em escolas, casamento, alistamento militar, viagens, e para trabalhar no setor público e privado.
Varíola também conhecida como “bexigas” é uma doença contagiosa, causada por vírus (orthopoxvirus variolar), pode causar febre, dores, vômitos e lesões na pele. Foi erradicada no Brasil na década de 1970.

ESCARRADEIRA

Escarradeiras ou Cuspideiras eram utilizadas no século XIX e princípio do século XX, em diversos espaços sociais, como lares abastados, teatros, igrejas, hospitais, repartições públicas existindo também um modelo de bolso. O hábito de mascar o fumo e escarrar o que se considerava nocivo ao organismo era considerado corriqueiro. O uso da escarradeira e o costume de escarrar passaram a ser condenados após a medicina concluir que estes contribuem para a dissemina - o causador da Tuberculose. O objeto deixou de ser usado no início da década de 30.

CONHECIMENTO MÉDICO


Por muito tempo, o desconhecimento do corpo humano representou um desafio para a Medicina. Embora estudos já tivessem sido realizados no século II a.C., estes, por muito tempo, estiveram abandonados por influência de questões religiosas. A mudança surgiu a partir da Renascença e, assim, a utilização de corpos nas Escolas de Medicina permitiu aos acadêmicos estudarem de forma mais ampla a estrutura óssea, os tecidos e os vasos sanguíneos, por exemplo.

DIAGNÓSTICO


Antes de aplicar um tratamento, é necessário realizar diagnóstico. Se a observação e a descrição de casos clínicos estão na essência da profissão, os recursos tecnológicos são importantes aliados do médico no momento do diagnóstico.
Estes progressos, antes de tudo, possibilitaram aos profissionais uma maior precisão no diagnóstico e menor sofrimento aos doentes. No século XX, o clínico dispõe dos três primeiros objetos para se ter um diagnóstico: estetoscópio, termômetro e aparelho de pressão.

TRATAMENTOS


Ao longo do tempo, a maneira de tratar as doenças esteve relacionada ao conhecimento e aos recursos disponíveis em cada época. Inúmeros tratamentos foram utilizados pela medicina, de terapias simples como as ventosas, aparelhos como o Pulmão de Aço, e os medicamentos.

CAUSA DAS DOENÇAS


A origem das doenças era uma incógnita que desafiava os maiores estudiosos. Sob influência de Hipócrates e Galeno, por muito tempo as doenças foram explicadas a partir da “Teoria dos Humores” e dos “miasmas”.
Tentativas de responder a esta questão podem ser encontradas ao longo da história. No século XV, pela primeira vez, se sugeriu que germes invisíveis poderiam ser causadores de doenças, mas somente no século XVI um invento foi capaz de dar início a mais um capítulo da história da Medicina: o microscópio.

;