MOURA, Roberto Landell de

Natural de Porto Alegre (RS), 21 de janeiro de 1861 - Porto Alegre (RS), 30 de junho de 1928. Filho de Sara Mariana Landell de Moura e Inácio José Ferreira de Moura. Estudou no Colégio dos Jesuítas em São Leopoldo (RS), onde concluiu o Curso de Humanidades. Posteriormente cursou a Escola Politécnica na cidade do Rio de Janeiro. Viajando para Roma cursou o Colégio Americano e a Universidade Gregoriana aprofundando estudos em Física e Química. Foi sacerdote, cientista e inventor. Em 1886, logo depois de ordenado, rezou sua primeira missa na Igreja Nossa Senhora Outeiro da Glória, na qual Dom Pedro II e outras personalidades da corte teriam comparecido. Em 1887 foi nomeado professor de História Universal e Capelão da Igreja do Bom Fim, em Porto Alegre (RS). Foi também vigário, por um ano, em Uruguaiana (RS). Em 1893, foi transferido para São Paulo, onde realizou a primeira experiência pública de comunicação à distância sem fios, da Av. Paulista ao Morro de Santana. Tal evento foi presenciado por autoridades brasileiras e inglesas. Em 1900, obtém do governo brasileiro a patente n° 3279, concedida a um aparelho apropriado à transmissão da palavra à distância, com ou sem fios, através do espaço, terra e água. Suas invenções também incluiriam o Teletion (telégrafo sem fio); Teleauxiofono (telefonia sem fio, microfone e alto-falante); Transmissor de ondas (várias finalidades, inclusive televisão); Edífono (purificador de voz); Anematofono (telefone sem fio); Caleofono (telespeaker). Sob a denominação de PERIANTO, o cientista descreveu minuciosamente os efeitos eletroluminescentes da aura humana e sua gravação em filme fotográfico. Somente em 1939 esse efeito foi conhecido, na Rússia, com o nome de efeito KIRLIAN e sua técnica fotográfica. Deixou também relatos dos efeitos da acumulação da eletricidade no comportamento do corpo humano, sob a denominação de ESTENICIDADE, e suas formas de controlá-los. Entre 1901 e 1904, nos Estados Unidos, decidiu patentear novas invenções. Também foi tido como pioneiro da telegrafia sem fios e precursor da radio-telefonia. Além de atuar como inventor, Landell de Moura não deixou de dedicar-se à vocação religiosa. Por fim, deixou também registros sobre vários aspectos da Medicina, Física e Psicologia, o que o faz, mesmo não sendo médico, figurar entre as personalidades importantes para o desenvolvimento da Medicina. Em 1992, em sua homenagem, foi criada a Rede Costeira Radiotelegráfica no Brasil, chamada de “Sistema Landell de Moura”, que cobria a costa brasileira de Fernando de Noronha (RJ) ao município de Rio Grande (RS).

Padre Landell. [S.I]. Porto Alegre: Editora FEPLAM.

;