PIRES, Flavio Kroef

Natural de Porto Alegre (RS), 15 de outubro de 1917, filho de Mario Vieira Pires e Cecy Kroeff Pires. Cursou o Ginásio Anchieta, onde completou o ensino do 2º grau, matriculando-se para o vestibular na então Faculdade de Medicina de Porto Alegre. Cursou medicina de 1933 a 1939, colando grau aos 22 anos. Após a formatura atuou no interior do Rio Grande do Sul, na Linha São Salvador no distrito de Cerro Largo (RS), bem como em São Luiz Gonzaga (RS). Lá permaneceu por 3 anos como médico generalista. Em 1942, volta a Porto Alegre, decidido a ser um anestesiologista. No final de 1943 e início de 1944, Flávio Kroeff Pires vai a São Paulo para estudar com o anestesiologia com Oscar Vasconcellos Ribeiro e Reynaldo Neves de Figueiredo e, no mesmo ano, também passou vários meses no Rio de Janeiro acompanhando o Dr. Mário Castro D’Almeida. Voltou a Porto Alegre e em 1945, organizou o Serviço de Anestesiologia e Reanimação do Pronto Socorro de Porto Alegre. Foi Diretor do Serviço de forma consecutiva pelo período de 25 anos. Teve intensa participação na Santa Casa. Em 6 de agosto de 1945, o Provedor da Santa Casa, Archimedes Fortini, e o Diretor de Clínicas Hospitalares, Isidro Heredia, o nomeiam para exercer a função de Médico Anestesista na Enfermaria 31, por proposta do Diretor da Enfermaria de Urologia de Homens, Dr. Homero Fleck. Em 1º de outubro de 1946, a pedido do prof. Luis Sarmento Barata, aprova a indicação do Dr. Flavio Kroeff Pires para assistente voluntário da Disciplina de Clínica Urológica. A 14 de outubro de 1957, aprova-se a proposição do prof. Duilio Perrone, indicando de seu nome para Consultor Voluntário de Anestesiologia na 2ª Cadeira de Clínica Cirúrgica. Em 30 de setembro de 1959, com a proposição do prof. Rubens Maciel, é indicado para Consultor de Anestesiologia da Cadeira de Clínica Propedêutica Médica. No ano de 1947, ministrou na Faculdade de Medicina, devidamente autorizado pelo Conselho Técnico Administrativo, o “Curso Livre de Anestesiologia”, destinado a alunos das três últimas séries, contando com 13 inscrições. Em 1957 ministra o curso “Curso livre sobre problemas anestesiológicos de interesse do ginecologista”. Em 6 de novembro de 1951, defendeu seu doutorado em Medicina. A banca designada era formada pelos professores Loforte Gonçalves, Gert Einchenberg, João de Almeida Antunes e José Éboli, doutorando-se em 14 de novembro de 1951, com a tese: “Uso de anidrido carbônico de William B. Drapper nos aparelhos de narcose em circuito fechado circular.” Fundou em 13 de junho de 1950 o Serviço Médico de Anestesia (SMA), associado na época aos Drs. Eugênio Mentz, José Kalil e Sergio Beirão. Dr Flávio, juntamente com Dr. Eugênio Mentz, decidem desenvolver um respirador automático e em 1952, registram a patente de invenção do respirador automático denominado Alternator, fabricado pela Metalúrgica Aço Técnica. Em 19 de abril de 1995, o Departamento Nacional de Propriedade Industrial, vinculado ao Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, concede aos Drs. Flavio Kroeff Pires e Eugênio Mentz a Patente de Invenção de número 47.674 do “aparelho para respiração artificial automática mediante insuflação e sucção alternadas com controle de freqüência, pressões e proporções entre ambas as fases”. Participou ativamente de diversas associações, em julho de 1948, foi aceito como Membro da American Society of Anesthesiologists e, em agosto do mesmo ano, recebeu o título de Anesthetist Fellowship da lnternational Research Society. Na Sociedade Brasileria de Anestesiologia foi, em 1952, membro da Comissão para estudo das bases e regulamentos para a expedição do Título de Especialista em Anestesiologia, foi segundo Secretário em 1953, Presidente da SBA em 1954, e Membro do Conselho Consultivo da SBA nos anos de 56, 57 e 58. Em 1957, foi Membro da Primeira Comissão Examinadora do Título de Especialista, mas, mesmo sendo doutor e especialista em anestesiologia, submeteu-se à prova para obtenção formal do Título de Especialista. Como Presidente da SBA, foi extremamente ativo na defesa da especialidade e reconhecimento no Serviço Nacional de Fiscalização de Medicina. Foi Sócio fundador e primeiro secretário da Sociedade de Anestesiologia do RS em 1951. Foi seu Presidente em 1952, membro da Comissão de Exames do Departamento em 1969. Membro da Comissão Especial de Regulamentação das resoluções do protocolo em 1970. Na AMRIGS, foi Membro da Comissão de Finanças no ano de 1957. Quando a AMRIGS publicou seu primeiro número da revista AMRIGS, o Dr. Flávio publicava o artigo “O essencial em Anestesia Geral”.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943. p. 553.

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/flavio-kroeff-pires/

;