PRUNES, Celestino (de Moura)

Natural de Quaraí (RS), 31 de maio de 1897 – 10 de junho de 1971, Porto Alegre (RS). Filho de Lourenço Prunes Sobrinho e Isolina de Moura Prunes. Realizou seus estudos primários na cidade de Alegrete (RS); e secundário no Ginásio Santa Maria, em Santa Maria (RS), e no Instituto Ginasial Júlio de Castilhos, localizado na cidade de Porto Alegre. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1919, defendendo a tese “Tratamento do Impetigo pelo Método de Ziel”. Especializou-se em Medicina Legal, tendo feito o curso de especialização no Instituto Médico Legal. Repórter de O Diário, jornal de Porto Alegre, entre os anos de 1916 e 1917. Redator da Gazeta de Alegrete, em Alegrete, no período entre 1920 e 1930. Atuou ainda como Catedrático de Medicina Legal da Faculdade de Medicina de Porto Alegre, cargo pelo qual aposentou-se no ano de 1965. Entre outras dignidades acadêmicas, foi paraninfo das turmas de 1940 e 1946. Em 1940, como paraninfo, pronunciou um discurso intitulado “A formação do Médico”. Os conceitos emitidos em 1940 podem ser considerados atuais. Foi Diretor Técnico do Instituto Médico Legal do Rio Grande do Sul, desempenhou as funções de Secretário de Polícia do Distrito Federal e de Diretor da Imprensa Oficial do Estado do Rio Grande do Sul em 1935. Exerceu a profissão em Porto Alegre. Foi capitão médico da reserva do Exército, servindo no Corpo de Saúde. Membro da Sociedade de Medicina de Porto Alegre. Além de repórter e médico, também era prosador e teatrólogo. Publicou vários trabalhos, entre os quais: Tratamento do Impetigo pelo Método de Triboulet, tese de doutoramento, P. Alegre, 1919. A Interdição Relativa no Direito Civil Brasileiro, tese, Rio de Janeiro, Ed. Mendes Júnior, 1939. Requisitos de Inscrição, Títulos e Trabalhos, ibid, 1939. Prognóstico da Reincidência no Livramento Condicional, tese. “A formação do médico”, in: Panteão Médico Rio-Grandense, S. Paulo, Ramos, Franco Ed., 1943. “A missão do médico”, rev. Província de São Pedro, P. Alegre, n.9, 1947. “A formação do Médico” discurso de paraninfo em 1940. Mulheres, peça teatral, estreada em versão para o espanhol pela Cia. Hector Cuore, Asunción, Paraguai, antes de 1930. Foi casado com a senhora Rosa Fortes Prunes. É patrono da cadeira 13 da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina.

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/celestino-de-moura-prunes/

;