PY, Aurélio de Lima

Natural de Bagé (RS), nasceu na Estância da Candiota, em 10 de fevereiro de 1882 -- 28 de agosto de 1949, Porto Alegre (RS). Filho de Aurélio Py e de Florência Lucas de Lima. Estudou na Escola Brazileira, concluindo o curso primário em 1892. Terminou o curso de humanidades em exames parcelados, a maior parte na antiga Instrução Pública, em Porto Alegre (RS), e os exames de Geometria, Trigonometria, Física, Química e História Natural no Ginásio Pedro II, no Rio de Janeiro, em fevereiro de 1900. Ingressou na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em março de 1900. Foi interno das Clínicas dos Professores Benjamin da Rocha Faria e Benicio de Abreu, este por concurso, na Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. A 27 de novembro de 1905, defendeu a tese “Estudo Clínico da Aortite Atheromatosa”, aprovada com distinção e recebendo o grau de Doutor em Medicina. Retornou a Porto Alegre e em 1907, é contratado como Professor da Faculdade de Medicina de Porto Alegre. Em março de 1908, por concurso, passou a Professor Catedrático de Clínica Propedêutica Médica. Este concurso abrangia a seção de Medicina, constituída por três cátedras: Clínica Médica, Clínica Propedêutica Médica e Patologia Interna. Regeu, na Faculdade de Medicina de Porto Alegre, as cátedras de Patologia Médica, por 8 anos, e de Clínica Dermatológica e Sifiligráfica por 1 ano. Em 1917, assumiu a 2ª Cátedra de Clínica Médica, na qual se aposentou. Foi Vice-Diretor da Faculdade de Medicina em 1914, 1915 e 1916, tendo estado no exercício da Direção. Foi Membro do Conselho Técnico Administrativo da Faculdade, exercendo interinamente a direção por ser o membro mais antigo do magistério entre os que compunham o Conselho, de 1931 a 1933. Em 1928, por indicação unânime da Congregação, proferiu a Aula Magna de Abertura Oficial dos Cursos da Faculdade de Medicina, que versou sobre Arrythmias (estado actual). Foi homenageado e Paraninfo de várias turmas de doutorandos da Faculdade de Medicina, sendo a última vez em 1938, turma que chefiou em excursão de intercâmbio cultural e científico ao Rio de Janeiro e São Paulo. Em 1937, foi Membro e Chefe de uma comissão de Professores que foi ao Rio de Janeiro tratar com Getúlio Vargas, assuntos do interesse da Faculdade de Medicina. A 24 de novembro de 1937, por decreto nº 6867 do Governador do Estado, foi nomeado Reitor da Universidade de Porto Alegre, tendo sido o primeiro médico a assumir esse cargo, e, em seu discurso de posse, ocorrida em 26 do mesmo mês, defendeu a federalização da Universidade; um sistema de ensino voltado para o espírito universitário, caracterizado pela aproximação de mestres e alunos; uma universidade dedicada à cultura, à ciência e à investigação; a necessidade de concursos de provas, títulos e trabalhos para ingresso na carreira universitária, a instalação de uma Faculdade de Educação, Ciências e Letras; e a integração do Museu do Estado, da Biblioteca Pública e do Instituto de Meteorologia à Universidade. Dirigiu os Arquivos Rio Grandenses de Medicina. Presidiu o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul. Foi Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre em dois períodos administrativos, de 1925 a 1930. Durante sua gestão de 6 anos, idealizou, construiu e inaugurou, em 1930, o Hospital São Francisco. A obra representou uma nova filosofia na história da Santa Casa, de criar uma fonte de renda capaz de suportar as obrigações econômicas. Dirigiu a 3ª Enfermaria da Santa Casa, do Dr. Luiz Masson, de Medicina de Homens e Clínica Neurológica. Irmão da Santa Casa, foi admitido como Irmão Benemérito por sua obra em prol da Irmandade. Organizou e chefiou a Inspeção Médica Escolar do Estado de 1929 a 1933. Foi diversas vezes Presidente e primeiro patrono do Gremio Foot-Ball Portoalegrense e Presidente da Federação Gaúcha de Foot-Ball, sendo assim o fundador do Campeonato Gaucho. Recebeu o título de patrono do Grêmio em 1946. Atuou na política partidária, pelo Partido Republicano Rio-grandense. Em 1922, quando o Governo do Estado toma atitude contrária ao Governo Federal, é levado à Presidência da Comissão Central de Reação Republicana. Foi eleito Deputado à Assembléia de Representantes de 1924 a 1928, Deputado à Constituinte Rio-grandense em 1935, quando participou da Frente Única Rio-grandense, e Deputado na legislatura imediata da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, de 1935 a 1937. Em 1939, foi nomeado Offícier d’Académie pelo Ministro da Educação Nacional da República Francesa. Casou a 10 de dezembro de 1906, em Porto Alegre, com Celina Piegas Tavares. O casal teve quatro filhos: Ecyla, casada com o Dr. Carlos Eduardo Machado Moreira; Cléa, casada com o Dr. Lino de Mello e Silva; Dr. Ayrton, casado com Leda Petersen Tavares; e Cely, casada com o Dr. João Carlos Gomes da Silveira. Publicou: Estudo Clínico da Aortite Atheromatosa. Tese Inaugural. 1904; Arterioesclerose gástrica. 1906; Educação Física. 1908; Alcoolismo do ponto de vista social. 1908; Ensino primário, secundário e superior da República. Discurso à Assembléia de Representantes. 1927; Arritmias (estado atual). Aula Magna da Faculdade de Medicina. 1928; Inspeção Médica Escolar. Tese no Congresso das Municipalidades. 1929; Aptidões do Escolar. Publicada pelo Governo do Estado. 1930; Ensino Médico e exames por Decreto. Tese no Congresso Sindicalista Brasileiro. 1933; Diagnóstico das úlceras gástricas.; Exercício Ilegal da Medicina no Rio Grande do Sul. Discurso à Assembléia Legislativa. 1937

https://www.jornalminuano.com.br/noticia/2019/03/02/aurelio-de-lima-py-o-bajeense-fundador-da-fgf-e-criador-do-gauchao

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/aurelio-de-lima-py/

https://www.gremiopedia.com/wiki/Aur%C3%A9lio_de_Lima_Py

https://www.geni.com/people/Aur%C3%A9lio-de-Lima-Py/6000000001337638305

https://gremio.net/conteudo/index/42

;