RUSSOMANO, Víctor

Natural de Pelotas (RS), 12 de outubro de 1890 – Caxias do Sul (RS), 20 de setembro de 1937. Filho de Frederico Russomano e Carmela Russomano. Estudou no Ginásio Pelotense, em sua cidade natal, até 1908. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1914. Formou-se ainda Bacharel pela Faculdade de Direito de Pelotas, em 1936 e Professor de Higiene da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Pelotas. Diretor de Higiene Municipal de Pelotas. Atuou como Professor de Higiene do Instituto Técnico Profissional de Pelotas e de Filosofia e História da Civilização no Ginásio Pelotense. Foi Conselheiro Municipal de Pelotas entre os anos de 1914 e 1922; Participou da Reação Republicana, movimento que promoveu, em 1921-1922, a candidatura de Nilo Peçanha à presidência da República, em oposição à de Artur Bernardes, afinal eleito em março de 1922. Fez campanha pela reeleição de Antônio Augusto Borges de Medeiros ao governo do Rio Grande do Sul na legenda do Partido Republicano Rio-Grandense (PRR). O episódio resultou na Revolução Gaúcha de 1923, guerra civil que opôs, no estado, os republicanos, liderados por Antônio Augusto Borges de Medeiros, aos federalistas, encabeçados por Joaquim Francisco de Assis Brasil. Estes, denunciando fraude, rebelaram-se contra a reeleição do líder republicano para o quinto mandato como presidente do Rio Grande do Sul. A luta se estendeu de janeiro a novembro de 1923 e foi encerrada pelo Pacto de Pedras Altas, que estipulou a manutenção de Borges no governo mas vedou nova reeleição.Participou da Frente Única Gaúcha (FUG), coligação entre o PRR e o Partido Libertador (PL) formada em agosto de 1929 com o objetivo de apoiar a candidatura de Getúlio Vargas à presidência da República, lançada pela Aliança Liberal. A FUG desapareceria, junto com os dois partidos gaúchos, em 2 de dezembro de 1937, quando estes foram extintos pelo Decreto nº 37. Após a Revolução de 1930, passou a integrar o Partido Republicano Liberal (PRL), formado em 1932 pelo interventor gaúcho José Antônio Flores da Cunha a partir de dissidências do PRR e do PL, tornando-se membro de sua comissão diretora em Pelotas (RS). Deputado da Assembléia Legislativa do RS, no mandato de 1922-1930. Deputado da Assembléia Constituinte Federal de 1933; Deputado Federal pelo RS entre os anos de 1934 e 1937. Membro da Academia Rio-Grandense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Obras publicadas: Bibl.: “História natural do educando”, tese de doutoramento, Anais da Fac. de Med. do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1914. Em Memória de Júlio de Castilhos, discurso, P. Alegre, 1924. A Escravidão Social da Mulher, estudo sociológico, Lisboa, Liv. Internacional Abel de Almeida, 1925. História Constitucional do Rio Grande do Sul, Esboço (1835-1930), com prefácio de João Neves, Pelotas, Barcelos, Bertaso, 1932. A Revolução dos Farrapos, Rio de Janeiro, 1935. “Adagiário gaúcho”, sep. da Revista do IHGRS, P. Alegre, 1938 (reproduzido postumamente na rev. Província de São Pedro, P. Alegre, n.12 a 15, 1938-1951). “Um episódio da Guerra dos Farrapos”, Revista do IHGRS, P. Alegre, n.39/40, 1930. Pai de Mozart Víctor Russomano e de Rosah Russomano Mendonça Lima, irmão de Vicente Russomano e genro de Alcides Galhardo Mendonça Lima.

http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/russomano-vitor

;