SANTOS, César José dos

Natural de Soledade (RS), 30 de março de 1904 — 05 de maio de 1970. Filho de José Antonio dos Santos e Maria dos Santos Vaz. Estudou na Escola Prof. Alice Cardoso, em Soledade (RS), no Instituto Ginasial de Passo Fundo (RS) e nos Colégios Cruzeiro do Sul e Nossa Senhora do Rosário, em Porto Alegre (RS). Formou-se em farmácia e medicina, respectivamente, nos anos de 1932 e 1933, pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, defendendo a tese “bancroftose”. Especializou-se em Clínica Geral e Endocrinologia. Exerceu a atividade médica, conquistou diversos títulos e prêmios, entre eles a medalha de ouro Oswaldo Cruz, importante evento científico da década de 1930. Em Porto Alegre (RS), além de clinicar também exerceu o magistério, tendo lecionado no Colégio Cruzeiro do Sul até estabelecer-se em Passo Fundo (RS), onde fundou a Clínica Dr. César Santos, em 1945, atuando nas áreas da radiologia, abreugrafia, radioterapia e clínica médica. Realizou cursos de aperfeiçoamento em Técnica Cirúrgica, Pediatria, Especialização em Tuberculose, Parasitologia Especializada e Tisiologia. Como cientista, participou de diversos congressos no Brasil e no exterior, desenvolvendo trabalhos de pesquisa, dentre os quais destaca-se o de identificação humana diante dos seios frontais, que teria sido apresentado no Congresso Mundial de Radiologia de Tóquio de 1970, se não tivesse ficado doente. Uma das realizações mais importantes de sua carreira, remete ao dia 24 de janeiro de 1950, quando liderou a comissão que deu origem à Sociedade Pró-Universidade de Passo Fundo, hoje UPF – Universidade de Passo Fundo. Em sintonia com amigos e pessoas sensíveis à cultura e à promoção do conhecimento, foi o primeiro presidente do Instituto da Liberdade de Conhecer, fundado em 1961, como consequência de toda uma movimentação em torno da criação de cursos superiores em Passo Fundo. Aquela instituição tinha como escopo “criar um movimento de ideias favoráveis à ampla difusão do ensino em todos os graus, especialmente no de nível superior; proporcionar oportunidade de aprender; incrementar a descentralização do ensino superior; manter intercâmbio com instituições, inclusive com organismos internacionais de caráter oficial; trabalhar pela adesão aos ideais do instituto.” Fundou em Passo Fundo o antigo PTB, Partido Trabalhista Brasileiro, legenda através da qual foi eleito Deputado Estadual (1947-1951) e Deputado Federal (1951-1955). Na ditadura militar, em 1964, com a extinção dos partidos existentes e a permissão apenas para um partido de situação (Arena) e um de oposição (MDB), filiou-se à oposição e foi eleito prefeito do município de Passo Fundo (1969-1970) pelo MDB. Como parlamentar sempre priorizou sua experiência na área da saúde: como deputado constituinte estadual, inseriu a obrigatoriedade da vacina BCG, introduzindo na Constituição do estado do Rio Grande do Sul o artigo 43 – “Das disposições transitórias, a luta contra a tuberculose pelo uso da vacina”. Cumpre destacar que o Rio Grande do Sul foi o primeiro estado a registrar em seu texto tal medida. Recebeu um Diploma de Honra ao Mérito, acompanhado de medalha, dos integrantes da comissão organizadora das jornadas comemorativas do cinquentenário da Fundação da Liga Paulista contra a Tuberculose em 1949. A partir de sua representação política, apresentou estudos sobre a tuberculose, obtendo parecer do Dr. Arlindo de Assis, Diretor de Saúde Pública do país, e do Dr. Miguel Couto, que, posteriormente, encaminharia o projeto de premonição pela BCG na Câmara Federal. Presidiu a Comissão de Saúde e participou da elaboração de projetos e sugestões relativas aos problemas sanitários. Foi um dos principais defensores do desbordamento do Ministério da Aeronáutica, criando a Aeronáutica Civil como pasta autônoma. Filatelista e amigo das letras, foi membro da Academia Rio-Grandense de Letras e fundador da Academia Passo-Fundense de Letras, em 1962. Publicou, entre outros trabalhos: “Síndrome da dispnéia suspirosa”, sep. dos Anais da Fac. de Med. de P. Alegre, P. Alegre, 1942. “A medicina vindoura”, Revista do Globo, P. Alegre, 25 jul. 1935. “A criança não deverá morrer”, ibid, 25 jul. 1936. “Terreno endócrino: campo de adaptação biológico”, rev. La Semana Médica, Buenos Aires, 14 out. 1937. Em 22 de dezembro de 1945, casou-se com Rosa Maria Pereira dos Santos e tiveram dois filhos: Radiá e César. Em sua homenagem sua filha, Radiá, e os netos, Gustavo e Tiago, criaram o Instituto Cesar Santos, que funciona em Porto Alegre (RS), oferecendo cursos para médicos e técnicos na área da radiologia.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p.561

HEINZ, Flávio M.; VARGAS, Jonas Moreira; FLACH, Angela, MILKE, Daniel Roberto. O Parlamento em tempos interessantes: breve perfil da Assembléia Legislativa e de seus deputados – 1947-1982, Porto Alegre: CORAG, 2005. LECH, Oslandré; DONADUSSI, Ruy; TARASCONI, Juarez (Org.). Academia Passo-Fundense de Medicina. Passo Fundo: Méritos, 2008, p. 106-107.

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
;