SILVEIRA, Heitor da Cunha

Natural de Vila Rica, hoje Tupanciretã (RS), 27 de dezembro de 1901 – Porto Alegre (RS), 30 de janeiro de 1973. Filho de Felicidade da Cunha Silveira. Estudou em Santa Maria (RS) e a seguir no Ginásio Anchieta, em Porto Alegre (RS). Formou-se pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1927. Atuou profissionalmente em Porto Alegre e em Iraí (RS), onde foi diretor da Estância de Águas local. Médico Pediatra do Departamento Estadual de Saúde, também em Porto Alegre e Diretor do Departamento Estadual de Crianças, na mesma cidade. Membro do Conselho Estadual de Educação da capital gaúcha em 1968. Membro da Sociedade de Higiene e Saúde Pública do Rio Grande do Sul. Publicou diversas obras, entre elas: A Estância de Águas Minerais de Iraí, Porto Alegre, 1927. Iraí e as Indicações e Contra-Indicações Terapêuticas de suas Águas Minerais, Porto Alegre, Globo, 1932; Os Três Inimigos do Colono, conferência, Porto Alegre, Globo, 1933; Iraí pelo Rádio, Porto Alegre, 1934; Escritos, prosa, Passo Fundo, Liv. Nacional, 1943; “Duas grandes estâncias hidrominerais (Iraí-Itaí)”, in: Panteão Médico Rio-Grandense, S. Paulo, Ramos, Franco Ed., 1943; “Natimortalidade em Porto Alegre em 1949”, Jornada Brasileira de Puericultura e Pediatria, 4, Anais, Porto Alegre, 1950; Educação Sanitária na Escola Primária (Guia do Professor), Porto Alegre, Secretaria da Saúde, 1970; “Não me beije”, artigo, Revista de Ensino, Porto Alegre, n.10, jun. 1940.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p.566

BRUM, Cristiano Enrique de. A (des)mobilização de médicos na Grande Guerra: o caso da Missão Médica brasileira na França (1918-1919). Tese de doutorado do Programa de Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2018

;