STAHL, Otto

Natural de São Sebastião do Caí (RS). Fez seus estudos primários em sua cidade natal, transferindo depois para Porto Alegre (RS), onde fez o curso secundário. Formou-se na última turma da Escola Médico-Cirúrgica de Porto Alegre, em 1925. Especializou-se em cirurgia e clínica médica. Exerceu a profissão em Não-me-toque (RS, que neste período era distrito de Carazinho (RS), onde fundou e dirigiu o Hospital Sagrada Família. Mais tarde, fundou ainda o Hospital de Caridade Sagrada Família, mantido pela Sociedade Beneficente Sagrada Família. Casou-se com Wilma Leopoldina Stabel Stahl, de cujo matrimônio teve a filha Brunhilde. Destacou-se também como presidente do Clube União local e na fundação do Ginásio São Francisco Solano na cidade de Não-e-toque. Na vida política, foi o vereador mais votado e presidente da Câmara de Vereadores nos anos de 1955 a 1957 no mesmo município, onde foi ainda presidente da Comissão de Emancipação de Não-me-toque. Representou o Governador do Estado em 1955, na ocasião da solenidade alusiva à Instalação da Nova Comarca de Não-Me-Toque. Recepcionou autoridades que visitaram o município: o Príncipe Bernhard da Holanda e o Governador do Estado Leonel Brizola. A Casa da Cultura Dr. Otto Stahl foi planejada, construída e finalizada em 1929 e passou a ser residência do Dr. Otto Stahl, sua esposa Wilma e sua filha Brunhilda até meados de 60. Em setembro de 1990, o local foi transformado em Casa da Cultura Dr. Otto Stahl e em 2006 tombada como patrimônio histórico.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p.572.

https://naometoque.rs.gov.br/multimidia/aniversario-da-casa-da-cultura-dr-otto-stahl/

https://naometoque.rs.gov.br/2017/09/13/casa-da-cultura-dr-otto-stahl-27-anos-de-historia/

;