VELHO, Carlos de Britto

Natural de Porto Alegre (RS), 4 de set. de 1912 - 1º de dez. de 1998, Porto Alegre (RS). Filho de Júlio de Sousa Velho e de Carlota de Brito Velho. Realizou seus estudos no Ginásio Anchieta, em Porto Alegre (RS) entre 1917 e 1927. Formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre em 1934. Especializou-se nas universidades de Paris e Genebra. Em 1938, atuou como Docente na Faculdade de Medicina de Porto Alegre (RS). Foi ainda professor titular e catedrático da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na cadeira de fundamentos biológicos da educação. Em janeiro de 1947, afastando-se da docência e da medicina, elegeu-se à Assembleia Constituinte gaúcha na legenda do Partido Libertador (PL), sendo um dos 39 deputados signatários da Carta estadual promulgada a 8 de julho de 1947. Entre 1960 e 1962 foi Secretário de Educação e Assistência do RS e, em outubro deste último ano, elegeu-se o Deputado Federal pelo RS na legenda da Ação Democrática Popular, coligação formada pelo PL, a União Democrática Nacional (UDN), o Partido de Representação Popular (PRP) e o Partido Democrata Cristão (PDC). Assumiu o mandato em fevereiro de 1963, em maio do mesmo ano tornou-se vice-líder do PL. A partir de junho de 1964, foi vice-líder do bloco parlamentar UDN-PL na Câmara dos Deputados. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar instaurado no Brasil em abril de 1964. Foi reeleito em novembro de 1966. Na Câmara participou da Comissão de Educação e Cultura. Em setembro de 1969, meses depois da edição do Ato Institucional nº 5 (AI-5), que suspendeu o funcionamento do Congresso, renunciou a seu mandato em protesto contra o completo esvaziamento do Poder Legislativo. Desde essa ocasião, não voltou a ocupar outro cargo político. Em 1972 aposentou-se. Entre 1974 e 1975, ministrou aulas de filosofia no Seminário de Viamão (RS), sua última atividade como docente. Em 1984 transferiu-se para Torres (RS), onde permaneceu até 1997, retornando para Porto Alegre (RS). Foi Membro da Associação Médica do Rio Grande do Sul; Membro da Sociedade de Medicina de Porto Alegre. Publicou: Etiopatogenia e classificação das hipertensões arteriais permanentes; Nefrozelipóidica; Climatério feminino; Medicina e filosofia moral; Valor nutritivo dos alimentos; Educação para a democracia e Bases e diretrizes para a reforma agrária no Brasil. Casou com Alice Azambuja de Brito Velho, com quem teve um filho, Gabriel Araújo de Britto Velho.

CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1963-1967 e 1967-1971); CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; Correio do Povo (8/12/65); INF. FAM. GABRIEL AZAMBUJA DE BRITO VELHO; NÉRI, S. 16; SILVA, R. Notas; Veja (24/9/69). In: https://www.camara.leg.br/deputados/131198/biografia

http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/carlos-de-brito-velho

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 490. http://www.al.rs.gov.br/diario/diarios_anteriores/981203/morre.htm

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
;