BLESSMANN, Luís Francisco Guerra

Natural de Alegrete (RS), 10 de set. de 1891 - 1972, Porto Alegre (RS). Filho de João Blessmann e Maria Julia Guerra Blessmann. Formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1911, defendendo a tese “Contribuição ao estudo do complemento”. Foi adjunto na enfermaria do Prof. Carlos Wallau (1912-1925). Foi interno na 17ª enfermaria de Medicina de Homens (1908), adjunto na 1º enfermaria de medicina pediátrica (1912) da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre Freqüentou as enfermarias e anfiteatros de anatomia médico cirúrgica e anatomia-patológica. Estudou química biológica – e veio a ocupar a subchefia da sessão de laboratório central das Clínicas, de 1912 a 1922. De 1914 a 1917 foi Prof. contratado de Química Biológica; de 1918 a 1921 conquistou por concurso o cargo de Prof. Substituto de Cirurgia, e, em 1922, a Cátedra de Cirurgia Geral. Foi membro do Conselho Técnico-Administrativo da Faculdade de Medicina de Porto Alegre, Chefe da 18ª Enfermaria e Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Atuou como médico no Hospital Beneficência Portuguesa de Porto Alegre entre 1929-1931. Participou da fundação do Sindicato Médico do RS (Simers) em 1931 e o presidiu em 1933. Co-fundador do Partido Republicano Liberal (PRL). Em 1932, foi eleito membro, por um período, do Conselho Federal de Educação. Foi um dos fundadores da Sociedade de Ortopedia e Traumatologia do RS, em 1939 e presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia entre 1945 e 1946. Foi Diretor da Faculdade de Medicina, de 1935 a 1938. Em 1935 foi eleito deputado à Assembléia Constituinte Estadual do RS, através do voto popular. Foi eleito presidente da Assembléia e lutou pelo fim da liberdade profissional no RS. Em 1937, viajou para a Europa e frequentou os serviços dos professores A.W. Mayer; (Westend-Krankenhaus); Liechtenber e Lubarsch (anatomia patológica) “Charité”, em Berlim. Em Paris realizou os cursos de aperfeiçoamento nos serviços de Legueu, Gregoire e Pauchet, e em Viena freqüentou o serviço do Prof. Finsterer. Em 1944, o Prof. Blessmann foi reconduzido à direção da Faculdade de Medicina, permanecendo até 1956. Foi responsável pela ampliação do prédio, de uma ala de três pavimentos, onde foram instaladas a biblioteca, o setor de Medicina Legal, os laboratórios de Física, Farmacologia e Parasitologia e a sede do Centro Acadêmico Sarmento Leite (CASL). Também auxiliou na criação de uma Escola de Enfermagem, fundada em 4 de dez. de 1950. Em março de 1952, realizou uma viagem de estudos aos Estados Unidos para aprender sobre a estrutura e funcionamento do ensino. Em 1954 representou a Faculdade de Medicina da UFRGS no seminário sobre o Ensino de Medicina Preventiva, realizado em Santiago do Chile. Foi membro do Colégio Internacional de Cirurgiões, da Société Internacionale de Chirurgie e de mais oito sociedades científicas. Participou também do Congresso de Comemoração do Cinqüentenário da Faculdade em Porto Alegre (RS) e no Congresso de Educação Médica Brasileira, em 1956, em Ribeirão Preto (SP). Ministrou vários cursos em vários centros médicos brasileiros. Foi Catedrático da Clínica Cirúrgica, da Faculdade de Medicina da UFRGS, especialidade que exerceu em Porto Alegre. Em 1960 recebeu o título de professor emérito da UFRGS e Membro Honorário da Academia Nacional de Medicina, também é patrono da cadeira nº 43 da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina. Publicou: “Estado atual do mecanismo de morte no íleus - tese de concurso de professor na Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1918”; “Um caso de tumor do encéfalo. In: Revista dos Cursos, 1919”; “Novos horizontes anátomo-fisiológicos da circulação – conferência realizada no curso de extensão universitária, em nov. de 1936”; “Os recentes progressos da anestesia: anestesia pelo Evipan Sódico, em colaboração com o Dr. Gert Eichemberg. In: Arquivos Rio-grandenses de Medicina, nº 6 e 7, 1933”; “A profissão médica e sua função social. In: Revista dos Cursos da Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1926.”. Casou com Maria Vianna Blessmann, com quem teve os filhos: Júlia Blessmann Berta, Gelsa Blessmann Coelho Borges e Jorge Olavo Vianna Blessmann.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 488.

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/luiz-francisco-guerra-blessmann/

VIEIRA, Felipe Almeida. “Fazer a Classe”: identidade, representação e memória na luta do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul pela regulamentação profissional (1931-1943). Dissertação de Mestrado, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em História da UFRGS, 2009, p.206, p.211.

;