CANDAL DOS SANTOS, Carlos

Natural de Cruz Alta (RS), 27 set. 1914 – 24 mar.1989, Porto Alegre (RS). Filho de Ormuz Jardim dos Santos e Celina Candal dos Santos. Iniciou os estudos em Cruz Alta (RS) e fez o secundário em Santa Maria (RS). Formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre em 1938. Atuou na cadeira de Patologia Geral, em que chegou a professor titular. Fez clínica, trabalhou em laboratório e foi líder entre os docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi diretor da Faculdade de Medicina. Presidiu a comissão de defesa de classe da AMRIGS. É patrono da cadeira nº 10 da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina, que teve como primeiro ocupante o Dr. Roberto Medaglia Marroni e é, atualmente, ocupada pelo Dr. Sérgio Roberto Haussen. Na década de 60, dedicou-se à área Cibernética e Teoria Geral dos Sistemas, inclusive introduzindo o tema nos meios acadêmicos onde atuava. Publicou “Teoria Geral do Biocampo”, em 1963, criou e organizou o Grupo de Estudos Cibernéticos, junto à cátedra de Patologia Geral, pioneiro no país e talvez na América Latina. Foi vice-presidente e sócio fundador da Associação Brasileira de Cibernética e Sistemas Gerais, em 1971. Tem trabalhos científicos e de divulgação relacionados à Cibernética e à teoria geral dos sistemas. "Teoria geral do biocampo", matéria original nas publicações da Universidade. "O ano de 1931", Correio do Povo, 22 jul.1978:16-17.

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/carlos-candal-dos-santos/

;