DIAS, Heitor Annes

Natural de Cruz Alta (RS), 19 de julho de 1884 - 7 de novembro de 1943, no RJ. Filho de Lúcio Annes Dias e de Balbina Lopes Dias. Fez o curso primário e secundário, como interno, no Ginásio de Nossa Senhora da Conceição, em São Leopoldo (RS). Diplomou-se em Farmácia, em 1902, e em Medicina, em 1905, pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre (RS). Foi para Cruz Alta (RS), onde exerceu a profissão. Em 1908 transferiu-se para Porto Alegre (RS) pois tinha sido aprovado no concurso para a cátedra de Medicina Legal e Toxicologia da Faculdade de Medicina de Porto Alegre e posteriormente foi indicado para reger a cadeira de Medicina Legal da Faculdade de Direito, lecionando por nove anos essa disciplina. Em 1917 viajou para a Europa retornando em 1918. Fez cursos de cirurgia nos serviços clínicos de Paris, e curso de Clínica Médica. De volta a Porto Alegre (RS) assumiu a 3ª cadeira de Clínica Médica na Faculdade de Medicina de Porto Alegre. Foi presidente da Sociedade de Medicina de Porto Alegre entre 1924 e 1928. Foi um dos membros fundadores do Sindicato Médico Rio-Grandense em 1931, onde fez parte do conselho deliberativo. Após a Revolução Constitucionalista de 1932, integrou o Tribunal de Honra, convocado por José Antônio Flores da Cunha, interventor no RS, para se defender das denúncias de traição dos líderes gaúchos, responsabilizando-o pela derrota do movimento. Em 1933 foi eleito Deputado Federal pelo Partido Republicano Liberal pelo RS, e permaneceu no cargo até 1937. Em 1934 foi transferido da Faculdade de Medicina de Porto Alegre para a do Rio de Janeiro, onde seguiu como catedrático na 5ª cadeira de Clínica Médica. Foi médico no Hospital Estácio de Sá e posteriormente no Hospital Moncorvo Filho, no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores e 1º presidente da Sociedade de Gastroenterologia do Rio de Janeiro de 1941 e 1942. É patrono do Instituto de Nutrição, no RJ. Foi membro honorário de Sociedades de Medicina do RJ, SP, Buenos Aires, Berlim e Montevidéu. A Universidade do Chile concedeu-lhe o título de “Professor Honoris-Causa” após uma série de conferências por ele realizadas. Foi homenageado com seu nome em uma rua na cidade de Porto Alegre (RS) e no Parque Farroupilha há um busto. É patrono da cadeira 29 da Academia Sul-Rio Grandense de Medicina. Publicou: Lições de clínica médica (8 volumes); Lições de metabologia clínica (3 volumes); Diabetes (em colaboração, 1936). Casou-se com Carolina de Revoredo Annes Dias, com quem teve quatro filhos.

BONOW, Germano M. Médicos Gaúchos e a Política. Brasília: Câmara dos Deputados, 2010, p.40-42.

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/heitor-annes-dias/

http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/heitor-annes-dias

;