DIFFINI, Felicíssimo

Natural de Porto Alegre (RS), 14 de maio de 1900. Fez seus estudos primários e secundários no Ginásio Anchieta em Porto Alegre (RS). Diplomou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1921, defendeu a tese sobre: “Da reação de Noguchi”. Especializou-se em Pediatria, Química e Saúde Pública. Fez viagens de estudos para São Paulo, Rio de Janeiro. Em 1918 atuou como interno da Clínica de Propedêutica Cirúrgica. Em 1919 foi interno do Consultório de Adultos da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Em 1920 foi interno da Enf. Dr. Wallau e do Instituto Oswaldo Cruz, da Faculdade de Medicina de Porto Alegre (RS). Em 1922 foi Assistente da cadeira de Clínica Pediátrica Médica e Higiene Infantil da Faculdade de Medicina de Porto Alegre (RS), cargo esse que voltou a ocupar em 1931. Em 1932 foi Docente-Livre de Química Fisiológica e Chefe de Laboratório. Atuou como Diretor da Divisão do Departamento Estadual de Saúde, Titular de Divisão Administrativa e interinamente dirigente da divisão técnica desde 1939. Participou do 9º Congresso Médico Brasileiro, 1ª Conferência Nacional da Defesa contra a Sífilis e 2ª Congresso Nacional de Tuberculose. Entre os trabalhos publicados: “Classificação Periódica dos elementos” tese de concurso de Livre Docente de Química Geral e Mineral da Faculdade de Medicina de Porto Alegre (RS); “Formação da Consciência Sanitária no Rio Grande do Sul” In:FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 154-155. Casou-se com Maria Rosa Demarchi Diffini, com quem teve um filho, Eduardo.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 502 -503.

;