KROEFF, Mario

Natural de São Francisco de Paula (RS), 13 de outubro de 1893 – 23 de dezembro de 1983, em Vassouras (RJ). Filho de Carlos Kroeff e Idalina Kroeff. Iniciou seus estudos em São Francisco de Paula (RS). Iniciou o curso de medicina, em 1910, em Porto Alegre (RS) mas, transferiu-se em 1915, diplomou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1915. Em 1917, fez seu primeiro concurso, tornando-se 1º tenente do Exército. Foi Delegado da Higiene em Brusque (SC), em 1917. Atuou como Diretor do hospital em Brusque (SC), em 1917. Serviu como médico na 1º Guerra Mundial, em 1918, em Tours (França), trabalhou no serviço de cirurgia, atendendo a prisioneiros alemães. Foi deslocado para Paris, onde chefiou uma enfermaria no “Hospital Brasileiro”. Retornou para Porto Alegre (RS) para atuar na Assistência Municipal. Em 1920, Mário Kroeff deixou a carreira militar, pois foi aprovado em concurso para médico de saúde pública, sendo nomeado para um dispensário para doenças venéreas, no RJ. Foi para Alemanha, em 1924, juntamente com uma Comissão Governamental, para estudar a Organização da Luta contra a Sífilis e as Doenças Venéreas, e adquiriu um aparelho de diatermocoagulação. Ao voltar, ingressou na Santa Casa de Misericórdia, como assistente de Brandão Filho, onde se especializou em cirurgia. Foi Assistente de Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Livre-Docente da Faculdade de Medicina do RJ desde 1929, e começou a se empenhar pela defesa de algo que considerava essencial para o desenvolvimento do tratamento do câncer- a criação de uma unidade hospitalar especializada na doença. Aparentemente, só obteve êxito em conseguir verba para este objetivo quando, já médico do Departamento Nacional de Saúde Pública (DNSP), manteve contato com o ministro de planejamento para a construção de uma unidade hospitalar em anexo ao Hospital Estácio de Sá. Entretanto, esta unidade depois de concluída foi destinada a outra especialidade médica. Diante disso, Kroeff renunciou sua saga em busca de apoio para a construção de outro prédio, o qual só conseguiu ver pronto e inaugurado por Getúlio Vargas, em 1937, e funcionando em 1938: o Centro de Cancerologia, do qual foi o primeiro diretor. Diretor do Serviço Nacional do Câncer. Clínico e cirurgião no Rio de Janeiro. Em 1941, este Centro se transformou no Serviço Nacional do Câncer (SNC), para o qual Kroeff também foi nomeado diretor. A partir desta iniciativa, houve uma primeira expansão de clínicas de tratamento de câncer em diversos estados brasileiros e se realizaram campanhas nacionais de educação sanitária, para fins de esclarecimento da população sobre a importância do diagnósticos precoce do câncer. Em 1944, Kroeff fundou um hospital no bairro da Penha, dedicado à prevenção e ao tratamento de câncer- o Asilo dos Cancerosos-, atualmente denominado Hospital Mário Kroeff, e permaneceu como diretor do SNC até 1954. Membro da Academia Nacional de Medicina, do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, do Instituto Brasileiro de Cultura e do Centro de Cancerologia, do qual foi fundador. Publicou: Precisamos Corrigir Nossos Erros, reunião de uma série de artigos no Correio da Manhã, RJ, 1949, 61p., s/ed., Rio de Janeiro. Imagens do Meu Rio Grande – Reminiscências, 1971, 406p., ilustr., s/ed., Rio de Janeiro, 2.ed., 1972, 415p., ilustr., Impressora Brasileira, Rio de Janeiro. Ensarilhando as Armas, memórias, 1973, 212p., Impressora Brasileira. O Gaúcho no Panorama Brasileiro, prosa e verso, 1977, 334p., ilustr., Impressora Brasileira, Rio de Janeiro. Recebeu: 1959 - Diploma da Ordem do Mérito Médico na classe de comendador; 1962 (28 de outubro) - Diploma do Ipase, com o título de Fundador e Organizador; 1967 (25 de julho) - Diploma de Honra ao Mérito – Homenagem do X Congresso Brasileiro de Cirurgia – Colégio Brasileiro de Cirurgiões; 1968 (16 de agosto) - Diploma referente à entrega da medalha do pacificador; 1968 (29 de setembro) - Diploma do Título de Patrono do Congresso de Cancerologia; 1971 (22 de janeiro) - Diploma de cidadão fluminense honorário; 1971 (5 de junho) - Diploma da Legião Feminina da Educação e Combate ao câncer, como Membro Fundador; 1972 (9 de março) - Diploma de sócio titular da Sociedade Sul Rio-Grandense – Título de sócio benemérito; 1972 (21 de abril) - Diploma da Academia Brasileira de Medicina Militar – Título de membro honorário; 1972 (24 de maio) - Diploma da Liga da Defesa Nacional; 1972 (5 de agosto) - Diploma e medalha comemorativos do Centenário de Oswaldo Cruz; 1972 (15 de setembro) - Diploma do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, com o título de membro emérito do Estado da Guanabara; 1973 (3 de maio) - Diploma do Sesquicentenário do Poder Legislativo; 1973 (22 de junho) - Diploma da Sociedade Brasileira de escritores médicos, regional do Estado da Guanabara; 1973 (2 de dezembro) - Certificado de entrega da Medalha Comemorativa do Centenário de José Plácido Castro; 1974 (31 de julho) - Diploma de cidadania Vassourense; 1974 (16 de dezembro) - Diploma de Cidadão do Estado da Guanabara; 1976 (27 de março) - Certificado de vice-presidente da Comissão Organizadora do VI Congresso Brasileiro de Escritores Médicos; 1976 (26 de julho) - Diploma da Sociedade de Cancerologia do Estado do Rio de Janeiro, como Membro Fundador; 1978 (22 de maio) - Diploma da Sociedade Brasileira de Escritores Médicos, como Membro Honorário; 1978 (29 de junho) - Diploma da Academia Brasileira de Letras.

http://www.mariokroeff.org.br/nossa-historia.php

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
;