LARBECK Filho, Emílio Kemp

Natural do Rio de Janeiro, 9 de outubro de 1873 – 9 de outubro de 1955, Porto Alegre (RS). Filho de Emílio Kemp Larbeck e Maria Martins Kemp Larbeck. Fez os estudos primários e secundário no RJ. Diplomou-se em Medicina pela Escola Médico Cirúrgica de Porto Alegre, em 1916, defendo a tese “A defesa da saúde pública no Rio Grande do Sul”. Atuou como Comerciário no RJ, até 1891. Foi Jornalista, e fundou a Revista Avenida, no RJ; Redigiu O Fluminense, Niterói (RJ), em 1901; Foi redator da Gazeta de Petrópolis, Petrópolis (RJ); no Rio de Janeiro: A Gazeta, O Malho e A Imprensa. Transferiu-se para o RS, foi redator, desde 1910 e dirigiu o Correio do Povo, em Porto Alegre, 1913-1920. Depois, dirigiu O Diário e Norte-Sul, ambos de Porto Alegre, bem como A Manhã, 1920. Ingressou no funcionalismo público do RS, foi inspetor estadual de ensino. Foi um dos fundadores do Instituto Protásio Alves e do Instituto Evarista Flores da Cunha, diretor do expediente da Secretaria da Educação, diretor do Jornal do Estado (1939-1940), da Imprensa Oficial do RS e do Museu Julio de Castilhos (1939-1950), cargo em que se aposentou. Também foi Professor da Escola Superior de Comércio de Porto Alegre, da Escola Normal de Porto Alegre e da Escola Médico-Cirúrgica de Porto Alegre. Foi poeta, teatrólogo, romancista, pedagogo e crítico literário. Usou os pseudônimos de Bainave e Acúrio Benigno. Foi membro da Academia de Letras do RS. Publicou: Matinal, entreato em verso, P. Alegre, Liv. Jerônimo Silva, 1898, id, 2.ed., P. Alegre, Liv. Americana, 1918. Poesia, versos, Rio de Janeiro, Gráf. do Brasil, 1908, id, 2.ed., P. Alegre, Liv. Americana, 1920, id, 3.ed., Rio de Janeiro, tip. do Anuário do Brasil, 1924. A Defesa da Saúde Pública no Rio Grande do Sul, tese, P. Alegre, 1916. “A escola ativa como base da educação popular”, Congresso de Municipalidades, 1. Anais, P. Alegre, 1919. “Caixas escolares”, ibid, 1919. Gente Alegre, comédia, P. Alegre, Liv. Americana, 1919, id, 2.ed., ibid, 1921. Enciclopédia Brasileira de Educação, compilação de trabalhos pedagógicos, P. Alegre, 1922-1934, 6 v. Contribuição ao Estudo do Clima Antropológico do Rio Grande do Sul, P. Alegre, Selbach, 1933. Higiene Alimentar: Noções de Puericultura, ibid, 1934. Luz Suprema, versos, P. Alegre, Globo. 1938. Cantos de Amor ao Céu e à Terra, id, ibid, 1943. A Boneca de Sofia e o Batizado, literatura infantil. P. Alegre, A Nação, 1950. O Senhor Ministro, comédia estreada pela Cia. Cristiano de Souza, Rio de Janeiro, 1916. Uma Representação do Tim-Tim, burlesca, em parceria com Henrique Marinho. Russalka, opereta, id. A Fada Verde, id, id. O Senhor Barão, Vaudeville: Pobre Amor, O Amor de Dona Amanda, romance em folhetins no Diário do Comércio, Rio de Janeiro, 1908. “Registro semanal”, coluna semanal de crítica literária, sob o pseudônimo Acúrcio Benigno, Correio do Povo, P. Alegre, decênios de 30/40. Há uma escola estadual em Porto Alegre (RS) com seu nome, na rua Monteiro Lobato, Bairro Partenon. Casou com Hermania Fleck Kemp.

LHULLIER, Cristina. Levantamento das ideias psicológicas presentes na Faculdade de Medicina e na Faculdade de Direito no estado do Rio Grande do Sul entre 1890 e 1950. Tese apresentada à Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Riberão Preto da USP, como parte das exigências para obtenção do título de Doutor em Ciências, área: Psicologia, 2003, p. 87

https://www.facebook.com/emilio.kemp.50

http://edrek.blogspot.com/

https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/170059/001051921.pdf.txt6365cf592a280b53d878eafd755b906cMD52THUMBNAIL001051921.pdf.jpg001051921.pdf.jpgGenerated;jsessionid=560781002143EADFF0F71C5FC42BD1A2?sequence=2

;