MARIANTE, Thomaz Laranjeira

Natural de Porto Alegre (RS), 21 de junho de 1891. Filho de Serapião Mariante (médico) e Maria Joaquina Laranjeira Mariante. Estudou no Ginásio Anchieta, em Porto Alegre. Diplomou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1915, defendeu a tese ““Partoanalogia”. Dedicou-se à Clínica Médica, especialmente às doenças da nutrição, doenças do coração e do aparelho digestivo com mestres parisienses, em 1925 e 1926, na Capital da França. Atuou como médico clínico em Porto Alegre. Foi assistente de Clínica do Prof. Austregésilo, no Rio de Janeiro, em 1918, e da Clínica do Professor Otávio de Souza em Porto Alegre em 1917. Foi catedrático de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Porto Alegre de 1919 até se aposentar. Foi admitido por deliberação da Mesa, em sessão de 20/12/1918, como Irmão, da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (RS). Na Irmandade, ocupou as funções de Adjunto da 9ª seção em 13 de junho de 1916. Foi Diretor Interino da 9ª Enfermaria a partir de 5 de fevereiro de 1920. Diretor Interino da 9ª enfermaria em 9 de janeiro de 1924. Diretor Interino da Enfermaria Chaves Barcellos – Clínica Médica de Mulheres em 05 de março de 1927. Diretor Interino da Direção Geral do Serviço Sanitário em 27 de junho de 1934 a 03 de junho de 1936; Diretor da 20ª enfermaria Com. Chaves Barcellos, Medicina de Mulheres, de 1937 a 1942; Diretor da 2ª enfermaria Com. Chaves Barcellos – Medicina de Mulheres, de 1943 a 1963. Sócio honorário da Academia Nacional de Medicina do Rio de Janeiro. Membro da AMRIGS. Propugnou pela cultura da soja, então desconhecida, como fonte de proteínas e solução alimentar em nosso meio. É patrono da cadeira 60 da Academia Rio-Sul-Grandense de Medicina, de que é titular o professor Bruno Carlos Palombini. Publicou: “O problema das angiocardiopatias no Rio Grande do Sul”, In: FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 173-177. “Lição inaugural de patologia médica”, Revista dos Cursos, P. Alegre, 1926. “A energia radiante da Medicina”, ibid, 1926. “Doutrina constitucionalista”, Arquivo Rio-Grandense de Medicina, id, 1932. “Dados dos trabalhos de Miguel Couto”, Revista dos Cursos, id, 1934. “Das águas de Poços de Caldas e Iraí”, Arquivo Rio-Grandense de Medicina, id, 1934. “Do humorismo de Hipócrates ao constitucionalismo de Pende”, Arquivos Rio-Grandenses de Medicina, 1933. “O pensamento médico contemporâneo”, id, 1937. Conferências: “A noite do cardíaco” (Soc. de Medicina, 1941). “O dever do médico ante a situação atual do mundo e do Brasil” (aula inaugural de 1942). “A biotipologia humana”, Associação dos Professores Católicos, 1942.

http://academiademedicinars.com.br/cadeiras/thomaz-larangeira-mariante/

;