MEDAGLIA, João Orestes

Natural de Morano, Calábria, Província de Cosenza (Itália), 19 de setembro de 1900 – 8 de maio de 1990, em Passo Fundo (RS). Filho de Giuseppe Medaglia e Gilsomina Pandolfo Medaglia. Realizou os estudos primário e secundário no Colégio Nossa Senhora das Dores e Ginásio Anchieta, em Porto Alegre (RS). Diplomou-se em Medicina pela Real Universitá di Napoli (Itália), em 1924, com a tese “Ação terapêutica da sacarose em algumas dermatoses”. Trabalhou como oficial médico, na patente de tenente do Real Exército italiano foi Cirurgião no Hospital Civile, Acqui no Norte da Itália. Especializou-se em Cirurgia, Ginecologia e Urologia. Realizou cursos de especialização nas Universidades de Paris, Roma, Turim e Florença. Frequentou os cursos de Cirurgia, Urologia, Dermatologia, Obstetrícia e Ginecologia, em Nápoles; de Cirurgia em Roma, Florença e Turim; de Dermosifilografia e Ginecologia, em Paris, e de Cirurgia, no Rio de Janeiro. Chegou ao Rio Grande do Sul, em 1928, residindo em Porto Alegre (RS). Foi acometido por uma enfermidade e, aconselhado por médicos, passou a residir no interior do estado. Inicialmente em Colorado, depois em Erechim (RS). Residiu por pouco tempo em Porto União (SC). Em abril de 1937, chegou a Passo Fundo (RS). Atuou como médico do Samdu (Serviço de Assistência Médica Domiciliar de Urgência), INPS, Hospital São Vicente de Paulo, Hospital da Cidade e Hospital Municipal. Foi médico do Sindicato dos Bancários, demitido em 1945, por ser estrangeiro. Foi Prof. de Enfermagem de Clínica Cirúrgica na Escola Profissional de Enfermeiros, Passo Fundo (RS). Foi membro da Sociedade de Medicina do RJ, do Sindicato Médico do RS (Simers), da Associação Médica do RS, da Sociedade de Gastroenterologia do RS e presidente da AMRIGS (Associação Médica do RS) seccional Passo Fundo (RS), nas gestões de 51/53 e 59/61. Após a 2ª Guerra Mundial, em 1946, foi nomeado agente consular italiano em Passo Fundo (RS). Foi condecorado pelo presidente da República Italiana com a Estrela da Solidariedade. Foi acadêmico da Academia Rio-grandense de Letras. Trabalhou em Passo Fundo até 1960. Publicou: A narcose pelo evipan sódico; Um caso de pseudo-hemafrodismo masculino; Breces notas e propósitos de um caso de nofreso lipoídica; Lições elementares de propedêutica; Patologia médica; O Problema Demográfico em Função do Progresso no Brasil, P. Alegre, 1956; Índice da Natalidade e Alimentação; Da Etiologia no Câncer Ginecológico. Casou-se com Hilda Castelli Medáglia, de cujo matrimônio tem os filhos Norma, Clélia e Guido (médico).

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 534.

LECH, Oslandré; DONADUSSI, Ruy; TARASCONI, Juarez (Org.). Academia Passo-Fundense de Medicina. Passo Fundo: Méritos, 2008, p. 126-127.

;