MENEGHETTI, Mário Davi Rossi

Natural P. Alegre (RS), 17 de julho de 1905 – 29 de junho de 1969, Rio de Janeiro. Filho de João Meneghetti e Ana Rossi Meneghetti. Estudou no Instituto Ginasial Júlio de Castilhos, em Porto Alegre. Diplomou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1923, defendeu a tese “A Defesa da Criança”. Foi Médico assistente do Instituto de Higiene de Pelotas (RS), em 1929, e diretor em 1930. Estagiário do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, em 1932. Catedrático de Microbiologia e Histologia da Faculdade de Medicina e Farmácia de Pelotas, em 1938. Representante do Brasil no Congresso Internacional de Hidatidose, Argel, 1951. Foi Prefeito de Pelotas (RS), em 1952 até 1956. Chefe do Escritório Comercial do Brasil em Asunción, Paraguai, em 1956. Ministro da Agricultura do Governo Juscelino, 1956-1960. Foi cumulativamente ministro interino do Trabalho, Indústria e Comércio, de 1 de julho a 17 de julho de 1958. Foi Conselheiro do Instituto de Resseguros do Brasil, Rio de Janeiro, em 1964 e Vice-presidente até 1966. Co-fundador da Sociedade de Medicina de Pelotas, que presidiu. Membro do Partido Trabalhista Brasileiro. Publicou: A Defesa da Criança, tese de formatura, P. Alegre, 1923. “Hidatidose humana no Rio Grande do Sul”, Anais do Cinqüentenário da Fac. de Med. de P. Alegre, P. Alegre, 1950. Idéias e Sugestões Sobre a Reforma Agrária, Rio de Janeiro, Serviço de Informação Agrícola, 1959. Contribuição ao Estudo da Hidatidose no Rio Grande do Sul, 1945. Casou-se com Sylla M. Meneghetti.

FRANCO, Álvaro; RAMOS, Sinhorinha Maria. Panteão Médico Riograndense: síntese cultural e histórica. São Paulo: Ramos e Franco Editores, 1943, p. 536.

;